Seriam os Unicórnios uma Miragem

O ano de 2019 está sendo marcado uma avalanche de IPO (Initial Public Offer) dos chamados Unicórnios. Nomes como: Uber, Lifty, Pinterst, Zoon e Beyond Meat fizeram sua estreia esse ano.

Alguns investidores e o público em geral, que não tem acesso a esse tipo de investimentos (private shares) decepcionaram-se com a performance de algumas estreantes.  Essas ações podem sofrer ainda mais daqui a 6 meses quando o período de lock up exigido pela regulação norte américa (o grupo de controle não pode vender suas posições nos primeiros 6 meses) acabar. Assim, os fundos que detém grandes posições podem vender suas ações. Mas isso caro leitor não é um efeito estrutural, mas sim conjuntural.  Digo isso, pois aspectos estruturais fazem referência ao modelo de negócios e capacidade de geração de caixa.

Mas, como explicar esse desapontamento do investidor. Nos últimos anos, as empresas têm se mantido private (capital fechado) por mais ou menos 10 anos antes de abrirem o capital. Tal situação é bem diferente dos anos 90 e início dos anos 2000. Neste período as companhias abriam o capital com uma média de idade 3-4 anos – atualmente as empresas vão a Bolsa de valores, em média, após 10 anos. Isto elevou fortemente os valuations dessas companhias.

O principal ponto para compreendermos esses problemas de estreia e performance é a perspectiva do investidor. Em outras palavras a visão do Silicon Valley a de Wall Street. O primeira compra ideia (criar um novo mercado/disrupção) e futuro crescimento. Ele paga por isso. Dessa maneira ele faz dinheiro investindo bem no início da companhia. Já o segundo, quer ver fluxo de caixa e previsibilidade de mercado.  Não a toa, a Zoom  Video Comunitations Inc,  já apresentava  lucro  antes do IPO e que  recebeu  aporte de aproximadamente U$ 160 milhões  dos fundos de Venture Capital ,  vale U$ 19 bi ou próximo de 19x o preço de quando não era listada.

Essas visões contrastantes ajudam a entender o desempenho de Unicórnios na Bolsa. De uma forma geral, segunda o site Pitchbook, desde 2015, as Startups que abriram o capital performaram   bem com uma média de  valuation, no IPO, de 90% acima do último round de investimento.

Assim, vale lembrar que miragem não é ilusão, mas sim um efeito ótico. O que a imagem parece representar, no entanto, é determinado pelas faculdades interpretativas da mente humana.

Este artigo reflete as opiniões do autor, e não do Fast Markets. Não nos responsabilizamos pelas informações acima ou por prejuízo de qualquer natureza em decorrência do uso destas informações.

Leave a Reply

Your email address will not be published.