Suzano: lucro cai 61%, recorde de vendas e queda no custo caixa de produção no 4T19

Suzano (SUZB3) reportou um lucro líquido de R$ 1,175 bilhão no quarto trimestre, ante expectativa média de analistas compilada pela Refinitiv de R$ 1,77 bilhão.

Desse modo, a queda de 61% sobre o mesmo período do ano anterior gerada por queda no preço da celulose ficou em linha com o mercado.

No que diz respeito ao resultado operacional, a Suzano, uma das maiores produtoras de celulose e integradas de papel do mundo, contabilizou R$ 2,465 bilhões de Ebitda ajustado, isto é, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização.

O resultado chegou bem próximo das projeções realizadas anteriormente por analistas, que especulavam um total de R$ 2,439 bilhões.

Nesse contexto, a queda foi reduzida pela metade quando comparada ao lucro líquido reportado pela companhia.

De acordo com o documento, o Ebitda do 4T19 contraiu 31% ante o 4T18 em razão do menor preço líquido da celulose em dólares (36%), segundo informou a Suzano.

Ademais, houve uma considerável queda nos preços da celulose em 2019, diante de um excesso de estoques na cadeia mundial.

Diante desse cenário, a Suzano se viu obrigada a anunciar em novembro estratégia para vender ativos florestais e cortar investimentos.

No mês seguinte, um plano de investimento de R$ 4,4 bilhões para 2020 foi anunciado. Em 2019, o total revisado para baixo era de R$ 5,7 bilhões.

Em contrapartida, o Ebitda ajustado da Suzano cresceu 3% na comparação com o 3T19, em virtude do maior volume de celulose vendido (15%), mas também da alta do dólar. Esses fatores compensaram redução no preço da celulose.

O custo caixa de produção de celulose do 4T19 da Suzano, excluindo efeito de parada de manutenção de fábrica, foi de R$ 631 por tonelada (- 3% na comparação anual).

Acesse o Release de Resultados 4T19 da Suzano.