Vivara define IPO a R$ 24; estreia na B3 acontece amanhã

A Vivara (VIVA3) definiu o preço do seu IPO em R$ 24 na véspera, de acordo com o Valor Econômico.

Embora o valor definido tenha contrariado as projeções de que a precificação viria perto do topo, ficou ainda acima do centro da faixa que variava entre R$ 21,17 e R$ 25,40.

Conforme previsto, a oferta de ações da maior rede de joalherias do país levantou um total de R$ 2,1 bilhão.

Segundo o Valor Econômico, esse saldo foi alcançado com a oferta base (18,89 milhões de papéis de oferta primária e 51,96 milhões na oferta secundária), além da oferta adicional de 14,2 milhões de ações.

Assim sendo, R$ 480 milhões seguem para o caixa da Vivara, enquanto os controladores ficam com outros R$ 1,5 bi.

Parte da oferta liderada pelo Itaú BBA, saiu para os investidores de varejo com lock-up.

Isso quer dizer que eles permanecerão bloqueados de operar o papel pelos próximos 45 dias.

Em contrapartida, esses investidores ganharam prioridade na distribuição reservas entre R$ 3 mil e R$ 1 milhão.

Por outro lado, os investidores do segmento private, entre R$ 1 milhão e R$ 10 milhão, ficarão com a negociação travada por 90 dias.

Os recursos do IPO que contou com a assistência do agente estabilizador, Bank of America Merrill Lynch, serão direcionados especialmente para a abertura de novas lojas físicas.

Essa rubrica terá cerca de 65% do resultado líquido, já sem as comissões, da oferta primária, destacou o Valor.

Aproximadamente 15% do montante vai para a expansão das unidades de produção, enquanto 12,5% deverá ser destinado ao lançamento de uma nova marca. O investimento em tecnologia e inovação ficará com os 7,5% restantes.

Também participaram da oferta XP Investimentos e o JP Morgan.