XP, Banco do Brasil, Vale e Petrobras: veja as principais notícias corporativas do dia

IPO da XP – Segundo matéria do Valor Econômico, a presença do Itaú Unibanco na XP valorizou a companhia em mais de 320%. O Itaú, segundo a reportagem, fez o papel de um garantidor: quem tinha medo de aplicar capital pela XP, deixou de ter. Em maio de 2017, a XP era avaliada em R$12 bilhões. Hoje, às vésperas de estrear no mercado Nasdaq, a expectativa é que a empresa seja avaliada em até R$58 bilhões. Guilherme Benchimol, fundador, sócio e atual presidente da XP, escreveu uma carta aos futuros acionistas, onde descreve a trajetória da corretora e fala sobre a cultura da casa. Diretores da XP embarcam neste fim de semana para Nova Iorque.

BB privatizado? – Matéria do O Globo, citando fontes à par da situação, disse que Guedes e sua equipe se movimentam para privatizar o Banco do Brasil. O próximo passo seria convencer o Bolsonaro, mas a tratativa deve ficar apenas para o final do mandato. Há meses que o investidor aposta no potencial do BB para ser vendido, seja em partes, seja inteiro, a um banco estrangeiro.

Banqueiros insatisfeitos – Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, banqueiros criticaram as novas regras do cheque especial em almoço na Febraban, que contou com a participação do mentor da ideia, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Vale – A Vale divulgou em evento que sua projeção de produção de minério para 2020 foi ajustada para o intervalo de 340 milhões a 355 milhões de toneladas e que pretende investir US$5 bilhões para 2020 e 2021. Em 2019, por conta da tragédia de Brumadinho, a companhia não havia divulgado previsão. Ainda sobre a tragédia, foi afirmado pela diretoria que os desembolsos com o acidente estarão 75% quitados em 2022.

Petrobras – A Petrobras, segundo matéria da Exame, iniciou nesta segunda-feira a divulgação da oportunidade referente à venda de sua fatia nos campos terrestres localizados na Bacia de Sergipe-Alagoas.