Para Maduro, oposição da Venezuela é pior do que Bolsonaro

Em entrevista à jornalista Mônica Bergamo da Folha de S. Paulo, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse que o país possui ‘’uma oposição pior do que Bolsonaro. À direita do Bolsonaro’’.

Maduro assumiu o país em 2013, e comanda a Venezuela no pior momento econômico. Desemprego, pobreza e a inflação aumentaram de forma impactante, enquanto o preço do petróleo despencou, o que dificulta as trocas comerciais.

Com tantas dificuldades, à oposição a seu governo também cresceu, apoiada por Donald Trump e pelo governo brasileiro.

De toda forma, Maduro reconhece que sob tantas sanções a economia está “golpeada, perseguida, torturada”. “Por que buscar erros de um país torturado, perseguido? Quem sabe nosso único erro é não fazer mais para superar os efeitos do bloqueio”, disse o presidente, que decretou “fase de resistência” nas finanças.

Segundo Maduro, se a Venezuela tivesse uma eleição hoje ele ganharia por ampla maioria, pois ‘’o povo está cansado da ultradireita’’.

Questionado sobre uma possível intervenção militar, Maduro disse que irá defender o direito a paz, e que isso irá prevalecer sobre todas as coisas. “Eu sou cristão, praticante. Estou convencido de que aqui vai triunfar a paz frente às ameaças e às loucuras da ultradireita, de [Jair] Bolsonaro, de [Donald] Trump e de toda essa gente’’, disse ao veículo.

Mesmo assim, afirmou que se isso não acontecer, a ‘’Força Armada Nacional Bolivariana está mais unida que nunca, mais coesa que nunca na defesa do direito à paz, à soberania, à independência e à autodeterminação da Venezuela’’.

‘’O mundo não deve se esquecer de que a Venezuela tem uma força armada profissional, com um bom sistema de armas defensivo, poderoso. Além disso, temos 3 milhões de homens e mulheres voluntários, da milícia nacional’’, alertou.