Por que a análise gráfica é tão importante para os investidores?

Se o seu perfil de investidor é menos conservador e você investe seu dinheiro na Bolsa de Valores, certamente já ouviu falar na metodologia de análise gráfica de ações. Esse tipo de análise permite ao investidor a possibilidade de encontrar oportunidades com boa relação entre risco e ganho para maximizar seus lucros em um mercado volátil.

A partir das variações apresentadas nos gráficos, o investidor, por meio da análise gráfica, é capaz de visualizar importantes indicadores que poderão demonstrar qual é a melhor decisão naquele determinado momento. Quer saber mais sobre o assunto? Acompanhe a seguir.

O que é a análise gráfica?

Ela tem como principal objetivo estudar o mercado de renda variável, incluindo ações, commodities, opções, entre outras. Os investidores que escolhem os ativos utilizando esse método analisam o preço das ações por meio de gráficos. Eles mostram a variação dos preços dos ativos disponibilizados na bolsa de valores. Baseados nessas informações, as pessoas conseguem prever, com maior precisão, as tendências (de alta ou de queda) nas movimentações futuras.

Muitos investidores utilizam esse método no momento de comprar ou vender ativos. Esse método está baseado na relação de oferta e demanda. Levando em conta padrões anteriores, os indivíduos conseguem prever o melhor momento para comprar ou vender um ativo. Quando os preços estão em baixa, nas situações que há baixa procura por uma empresa, o momento está mais favorável para adquirir um papel. Por outro lado, quando o valor da ação está em alta — quando a procura por uma empresa é alta — é indicado vendê-la.

Esse método, portanto, é útil em qualquer mercado e por meio dele é possível prever o cenário provável para uma ação. Por causa dessas características, a análise gráfica é a mais apropriada aos investidores que esperam por boas oportunidades em curto prazo, seja no mesmo dia em operações de day trade, seja na mesma semana.

Qual é a importância da análise gráfica?

Primeiramente, análise gráfica é flexível. Como já destacamos neste artigo essa maneira de olhar o mercado vale para vários setores, ou seja, não é necessário conhecer detalhadamente sobre um nicho específico da economia. Basta identificar os padrões gráficos de cada ativo e encontrar o momento exato de comprar ou vender uma ação na bolsa de valores.

Vale destacar que todos os mercados passam por momentos quentes e com tendências de elevação de preços muito alto. Há também os momentos mais frios, ou seja, as ocasiões que um determinado mercado se desvaloriza. Nesse momento não há muita tendência definida. Isso porque, não se sabe até quando, exatamente, um papel continuará caindo e quando ele voltará a se valorizar.

As outras abordagens não fornecem essa visão. A análise fundamentalista, por exemplo, tende a focar em um determinado setor específico. Ela busca compreender de forma detalhada as necessidades sobre aquele mercado. Nos momentos de indefinição do setor, fica complicado para o investidor fundamentalista apresentar lucros.

Vale destacar ainda que a análise gráfica é muito importante para um investidor apresentar uma visão abrangente e geral do mercado. Como os movimentos costumam estar muito relacionados entre si, fica mais fácil determinar de forma mais precisa a condição atual e evitar cair na armadilha de olhar apenas a um setor específico.

Como as ações são precificadas?

Antes de apresentarmos os indicadores existentes na análise gráfica, é fundamental que você entenda como as ações são precificadas. Ao contrário do que muitos podem pensar, a situação macroeconômica do país ou as notícias não são os fatores que determinam de modo direto o quanto vale uma ação.

Entretanto, o valor da ação é alterado diretamente pela maneira como os compradores e vendedores reagem a esses acontecimentos e, sendo essa uma afirmação verdadeira, um cenário político turbulento e recheado de incertezas só acelera a venda de ações e isso afeta a Bolsa de Valores.

Logo, o valor de uma ação é formado pela interação existente entre compradores e vendedores. A variação nos preços acontece de acordo com as alterações nas forças compradoras e vendedoras, e é aqui que entra a análise gráfica.

Uma análise gráfica considera justamente essas duas forças, buscando entender qual das duas é o lado mais forte e, assim, oferecer ao investidor a possibilidade de tomar as melhores decisões.

Como é feita uma análise gráfica?

Para você entender melhor os dados que compõe uma análise gráfica, é preciso entender os indicadores, como identificá-los e como analisá-los. Por se tratar de um assunto complexo, o recomendado é que você estude a fundo cada um deles.

Tendência

A tendência é a direção principal assumida pelo preço de uma ação e existem três tipos principais: os preços podem se mover para cima, para baixo ou para os lados.

Elas são indicadores fundamentais de um analista técnico, já que o pressuposto de uma tendência é que o movimento deve continuar naquela determinada direção por um determinado período de tempo.

Apesar de não existir nenhuma garantia de que a tendência vá continuar como o planejado, os investidores costumam afirmar que “a tendência é sua amiga” e que “a história se repete”, isso porque apesar de verificarmos notícias diferentes a cada dia, as reações dos traders a essas notícias não mudam, ou seja, existe um padrão entre elas, e é isso que a análise gráfica mostra.

Suporte e resistência

Suportes e resistências são regiões de um gráfico que podem indicar onde o valor de uma ação pode hesitar e se manter na tendência (tanto de alta quanto de baixa) estável ou onde pode acontecer uma reviravolta no preço do papel.

Altas e baixas que já ocorreram nos preços são os pontos principais para a identificação dos suportes e resistências de um gráfico. Vale lembrar que suporte e resistência não são preços exatos de uma ação, são áreas de preço de um papel.

Volume

O volume é um indicador que mostra a quantidade de ações negociadas ao longo de um determinado período. Monitorar o volume de um papel é importante porque, por meio dele, se espera confirmar ou negar a tendência observada no preço de uma ação.

Médias móveis

Uma média móvel fornece os sinais mais consistentes a respeito de uma tendência e determina com precisão quando ela segue se movendo na mesma direção do preço das ações.

Existem dois tipos de médias móveis: a simples e a exponencial. Ambas são amplamente utilizadas para suavizar o movimento dos preços, e é por isso que são indicadores confiáveis para a identificação de tendências.

Amplamente utilizada pelos grandes traders, a análise gráfica consegue extrair informações sobre o comportamento dos preços, como eles estão se formando e mostra ao investidor o desempenho de uma ação em suas diferentes fases. Portanto, se você pretende ter sucesso em seus investimentos, aprofunde seus estudos sobre os gráficos.

Como funciona a plataforma Fast Trade?

Ela possibilita que os investidores façam operações com agilidade. A plataforma conta com inúmeras funcionalidades. Entre elas estão às planilhas de cotação, livros de ofertas, notícias, ranking de ativos, mercados, corretoras etc.

O Fast Trade apresenta vantagem de ser a única plataforma com simulador em tempo real, envia todos os meses sugestões de carteiras recomendadas aos clientes e conta com programas diários sobre informações em relação à economia, política e análise sobre o mercado de capitais. Vale destacar que a ferramenta está disponível em vários mercados BM&F Bovespa (B3), Dow Jones, Nasdaq, Bitcoin etc.

Amplamente utilizada pelos grandes traders, a análise gráfica consegue extrair informações sobre o comportamento dos preços, como eles estão se formando e mostra ao investidor o desempenho de uma ação em suas diferentes fases. Portanto, se você pretende ter sucesso em seus investimentos, aprofunde seus estudos sobre os gráficos.

Esse post sobre análise gráfica foi útil para você? Assine a nossa newsletter e receba mais conteúdo sobre investimentos em primeira mão no seu e-mail.