Quer saber como comprar e vender ações no tempo certo? Veja aqui!

Você sabe qual é o segredo para comprar e vender ações, e ainda ganhar dinheiro com isso? Basta comprar na baixa e vender na alta. Fácil, não é? Bom, não tanto. Se fosse possível saber exatamente quando está em baixa ou em alta, todo mundo faria essa operação.

Nesse caso, o que aconteceria? Se todo mundo resolvesse comprar uma ação ao mesmo tempo, sua cotação subiria, porque haveria muita procura e baixa oferta. Logo, não seria mais baixa. O contrário também é verdade: se houver um grande volume de venda durante um período de valorização, haverá mais oferta do que procura, levando a uma queda no preço da ação.

Isso não significa, porém, que não existam estratégias que podem ser usadas para aumentar as chances de o investidor lucrar aplicando em ações. Por isso, neste artigo, vamos explicar melhor como saber quando comprar e vender ações no tempo certo. Acompanhe!

Resista ao instinto de manada

A primeira recomendação é uma dica do que não fazer, na verdade. O mercado de ações é formado por investidores pessoa física e pelos chamados investidores institucionais, que são asset managements, fundos de pensão e outros grandes investidores.

Embora o número de investidores pessoa física seja maior — cerca de 740 mil CPFs cadastrados na bolsa de valores —, os investidores institucionais movimentam um volume muito maior. Isso quer dizer que as altas e quedas das ações sofrem muito mais influência das operações desses grupos.

Eles contam com equipes inteiras altamente especializadas, que se dedicam apenas a analisar o mercado e traçar as estratégias de operação nele. Isso quer dizer que você não tem como ser mais esperto do que eles. Se você acha que encontrou a ação perfeita, que vai subir muito e ninguém viu, a chance de estar se enganando é enorme.

Também significa que, quando a informação chega a você, é provável que a maior “pernada” de alta ou de baixa já tenha acontecido. Ao ler as notícias e ouvir os comentários de conhecidos, parte dos investidores pessoa física resolve se mexer no mercado, comprando quando não há muito mais potencial de valorização e vendendo quando o papel está na mínima.

Assim, se você notar que todo mundo está comprando ou vendendo, fique com um pé atrás e resista à tentação de seguir a manada.

Trace uma estratégia e fique com ela

Se não vamos fazer o que a massa está fazendo, como decidir quando comprar e vender ações? Antes de mais nada, você deve se perguntar por que você está fazendo isso e qual o seu objetivo. Vamos ver a seguir algumas estratégias e como essas perguntas podem ajudar você a traçar as suas.

Buy and hold

Você está formando uma carteira de ações, para compor uma parte do seu patrimônio com mais chances de ter um rendimento maior? Acredita que aquela empresa tem uma boa gestão, que o negócio vai crescer no longo prazo e isso vai se refletir na valorização da ação? Então, você vai comprar as ações e ficar com elas na carteira.

Essa estratégia é chamada buy and hold e é indicada para quem quer investir no longo prazo. Nesse caso, você não precisa se preocupar com o momento certo de comprar as ações, uma vez que as oscilações de curto prazo não afetam a sua estratégia de investimento.

Uma dica aqui é comprar aos poucos, assim você faz um preço médio, minimizando o efeito das oscilações do mercado. Isso vale para o momento da venda também.

Operações de curto prazo

O investidor em ações não necessariamente busca o lucro no longo prazo. Também é possível fazer operações de curto e médio prazos, comprando e vendendo o ativo no mesmo dia (day trade), no período de alguns dias ou semanas (swing trade).

Para isso, não adianta olhar tanto para a qualidade da empresa, uma vez que os movimentos de curto prazo são mais ditados por outros fatores, como eventos pontuais e fluxo de investimentos.

A metodologia mais usada, nesses casos, é a análise gráfica, também conhecida como análise técnica. O princípio básico dessa metodologia é que o preço da ação já embute todas as informações que existem sobre ela, ou seja, que o próprio mercado, pela lei da oferta e demanda, se encarrega de precificar corretamente a ação.

Por isso, não faria sentido tentar descobrir o preço justo de uma ação nem calcular o seu potencial de valorização. De acordo com a análise gráfica, os padrões de comportamento da cotação da ação indicam qual é a sua tendência.

Para usar a análise técnica como aliada para as suas estratégias, é preciso estudar um pouco e contar com uma boa ferramenta que ajude nessa análise. Existem muitos cursos no mercado sobre o tema e as boas corretoras de valores costumam disponibilizar para os seus clientes ferramentas de alta qualidade.

Tenha um plano de saída

Não é porque temos uma estratégia, que vamos nos agarrar a ela até quando perceber que não faz mais sentido. As coisas mudam, o mundo é dinâmico e o mercado de ações mais ainda. Por isso, ter um plano para sair da sua posição, e conter as perdas faz, parte da sua estratégia de investimento.

É possível estabelecer um percentual máximo de variação (para cima ou para baixo) e programar o home broker que você usa para disparar uma ordem de compra ou venda, quando a ação atingir aquele patamar.

Mais uma vez, o que fazer depende da sua estratégia. Vamos imaginar que você tenha comprado as mesmas 1.000 ações, a R$ 44 cada uma. Você acredita que a empresa é boa, que vai apresentar resultados sólidos e ficar com essa posição por um bom período. Assim, se o papel cair, por exemplo, a R$ 40, pode ser uma boa oportunidade de compra.

Por outro lado, se você busca lucro rápido com aquele negócio, pode programar uma ordem automática de venda quando o papel chegar a R$ 46 e colocar o dinheiro no bolso. Por outro lado, também pode colocar uma ordem automática de venda quando a ação bater em R$ 42, limitando seus prejuízos.

Independentemente de qual for a sua estratégia, para investir no mercado de ações, é importante estar sempre atualizado. Leia os relatórios de análise que os especialistas das casas especializadas divulgam, acompanhe o noticiário econômico e mantenha-se em constante aprendizado. Dessa forma, fica muito mais fácil saber quando comprar e vender ações.

Conhece mais gente que quer investir em ações e não sabe como? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!