Conheça 5 opções de investimentos de baixo risco

Investir é algo fundamental para qualquer pessoa que quer ter saúde financeira. Entretanto, nem todo mundo quer se expor a riscos, não é mesmo? Investidores mais conservadores, por exemplo, preferem investimentos de baixo risco.

Nessa modalidade de aplicação, normalmente a pessoa abre mão de ganhos maiores no curto prazo para conseguir ganhos constantes a longo prazo. Essa estratégia ajuda o investidor a proteger seu capital e construir um patrimônio maior, sem necessariamente ter que arriscar em alguma aplicação.

Caso se identifique com esse perfil de investidor, este post é para você. A seguir falaremos sobre cinco investimentos de baixo risco. Confira!

1. Tesouro Direto

O Tesouro Direto é visto como o investimento mais conservador do Brasil. Nele, você empresta seu dinheiro para o governo e ele lhe paga juros. Muito simples, não é mesmo? Além disso, o Tesouro Direto acompanha a inflação, o que garante que investindo nele seu poder de compra será sempre o mesmo.

2. Certificado de Depósito Bancário (CDB)

Outro investimento de renda fixa que chama muita a atenção de investidores mais conservadores é o CDB. Ele funciona igual ao Tesouro Direto, só que em vez de emprestar seu dinheiro para o governo, você faz o empréstimo para uma instituição bancária e ela lhe devolve o valor com juros.

3. Fundo de Investimento

Os fundos de investimento também são muito atrativos para quem não está disposto a arriscar. Eles funcionam como uma aplicação conjunta. Vários investidores se unem e colocam seu dinheiro no fundo com o objetivo de terem acesso a bons rendimentos.

O gestor, então, seleciona os melhores investimentos (cada fundo tem um tipo de limitação com relação às aplicações que podem ser feitas) e aplica o capital. Dessa forma, você não precisa se preocupar em escolher os melhores ativos.

4. Letras de Crédito Imobiliárias e do Agronegócio (LCI e LCA)

As LCI e LCA são outras opções de investimentos conservadores. Nelas você também empresta seu dinheiro para o banco, mas esse capital tem um destino muito bem definido: impulsionará o desenvolvimento agrícola do país (LCA) ou imobiliário (LCI).

Como essas áreas recebem incentivo do governo federal, as LCIs e LCAs tem uma grande vantagem: elas não são taxadas com a alíquota do Imposto de Renda (IR).

5. Fundo Referenciado DI

O fundo referenciado DI é, assim como os demais fundos, um modelo de investimento coletivo. Entretanto, ele tem uma regra que restringe bastante os tipos de aplicações que podem ser feitas pelo gestor, o que faz dele uma opção um pouco mais conservadora.

Esse tipo de fundo precisa investir pelo menos 95% do seu patrimônio em títulos públicos atrelados (ligados) à Selic — ela é a taxa básica de juros da economia brasileira.

Todos esses investimentos de baixo risco podem chamar a atenção de investidores mais conservadores. Entretanto, cada um deles oferece oportunidades diferentes, por isso é importante estudá-los a fundo antes de decidir em qual você investirá.

Gostou do post? Então, ajude outros investidores que têm dúvidas nesse assunto. Compartilhe o conteúdo nas suas redes sociais!