Saiba por que fazer diversificação de investimentos

Investir é um processo delicado que exige muito conhecimento e aplicação de boas estratégias, não é mesmo? Dentre as clássicas, a diversificação de investimentos é a mais usada, sendo fundamental para o sucesso.

Essa técnica consiste na distribuição de recursos em diversos investimentos para minimizar o risco das aplicações. Não só isso: quando a diversificação é feita da maneira correta, ainda impulsiona os ganhos e ajuda o investidor em seus objetivos.

Mas, quais são as verdadeiras vantagens dessa prática? Vamos falar sobre elas a seguir. Continue a leitura e confira!

Redução de riscos

Existe uma máxima no mercado financeiro que diz que quanto mais diversificada é uma carteira de investimentos, menores são seus riscos. Isso acontece porque ao contar com diversos ativos, a chance de todos eles se desvalorizarem ao mesmo tempo é praticamente nula.

Apesar disso, é preciso ter muito cuidado com as estratégias usadas. Segundo Warren Buffett, um dos maiores investidores do mundo, é importante diversificar, mas sempre devemos ter cuidado para não diluir sucessivamente nosso patrimônio em pequenas aplicações, o que dificultaria os acompanhamentos.

Maior exposição ao mercado

Além da redução de riscos, o investimento em vários ativos é favorecido pelas transições típicas e atípicas. Assim, uma carteira que comporta diferentes estratégias pode, também, estar protegida das adversidades econômicas das quais o país está sujeito.

Se você conta apenas com ações, o início do ano foi muito rentável, principalmente no período em que a Ibovespa disparou. Por outro lado, aplicações de renda fixa há dois anos eram absolutamente lucrativas. Quem tinha ambos os produtos conseguiu acompanhar essas mudanças e lucrar mais.

Melhor liquidez

Ainda no quesito segurança, a liquidez propiciada por diversos ativos chama a atenção de investidores mais conservadores ou com pouco tempo disponível. E aqui não estamos falando apenas daquele período de espera para resgatar um CDB, por exemplo.

Mesmo em ações é preciso considerar a liquidez. Não faz sentido vender um ativo que está em alta, sendo que a margem máxima de ganhos ainda não foi atingida. Por isso é interessante ter aplicações secundárias, como o Tesouro Direto, para recorrer caso aconteça alguma emergência.

Isso minimiza significativamente as perdas que poderiam ser ocasionadas por uma operação feita às pressas.

Eficiência em diversas estratégias

Somado a todos os pontos levantados até agora, a diversificação de investimentos ainda tem mais uma grande vantagem: a melhoria da eficiência da carteira de ativos do investidor.

Ao pegar ativos de diferentes áreas é possível garantir que a desvalorização de um produto favoreça a valorização de outro. No exemplo que demos entre o mercado de ações e a renda fixa, você percebeu que isso aconteceu?

Em um cenário com altos juros, como em 2015, os indexadores (CDB, Selic, Ipca etc.) tendem a remunerar melhor. Quando a situação muda, os indexadores ficam menos atrativos e as empresas ganham acesso a crédito. Como resultado disso os ativos variáveis (ações, principalmente) disparam, assim como aconteceu no início de 2018.

Dessa forma a diversificação de investimentos é uma das principais atividades que os investidores devem fazer. As vantagens dessa prática são vastas e não existem pontos negativos. Então comece a escolher os melhores ativos e componha sua carteira da forma correta!

Para que você fique por dentro do cenário do país e acerte nas aplicações, lembre-se de se inscrever em nossa newsletter! Você receberá mensagens informativas diretamente na caixa de entrada do seu e-mail.