Renda fixa e renda variável: qual vale mais a pena para 2019?

Junto à chegada de 2019, há também a expectativa de como as oportunidades de investimentos se apresentarão. Investidores esperam um ano mais propício e tentam entender qual caminho se mostrará melhor: renda fixa ou renda variável.

O mercado apresenta uma tendência a estar aquecido novamente, com a retomada da economia se desenhando. Naturalmente, isso impacta positivamente as possibilidades de investimento. No entanto, é preciso saber qual das duas categorias se mostra mais vantajosa. Os juros influenciam diretamente a escolha.

Neste post, você verá uma perspectiva para investimentos em 2019, avaliando como as mudanças políticas terão influência. Descubra qual modalidade valerá a pena!

A promessa de melhoria da economia em 2019

O ano de 2018 foi um dos mais movimentados da história do Brasil. Investigações da Operação Lava Jato, eleições movimentadas e a greve dos caminhoneiros mexeram com a economia. Consequentemente, todos esses fatores têm reflexo direto na confiança do mercado e na maneira como os investimentos performam.

Apesar disso, a expectativa para 2019 é de retomada. Um dos principais fatores que justificam isso é a entrada de um governo economicamente liberal. Isso chama atenção das empresas e investidores, que se dispõem a aplicar mais recursos no país.

Em números, a perspectiva também se mostra mais positiva. O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou uma pesquisa em setembro em que é apontado o crescimento de 2,9% da economia para 2019.

O avanço do PIB também é uma realidade em vista. Sua subida deve chegar a 2,5%, como aponta o relatório Focus, do Banco Central do Brasil.

Dados como esses ajudam a entender que o cenário é de boas expectativas. Por si só, essas informações geram maior confiança nos investidores, que se mostram mais dispostos a olhar as oportunidades de outra forma. A partir de então, é comum surgir a dúvida de onde colocar seu dinheiro: renda fixa ou renda variável?

As expectativas para renda fixa e renda variável

Com um cenário mais favorável, é natural pensar em como essas condições vão influenciar os investimentos. As expectativas já se desenham como boas para quem quer continuar aplicando capital em diferentes mercados. Nesse momento, é natural pensar sobre renda fixa e renda variável, no sentido de qual se mostra melhor.

Nas duas perspectivas, há chances interessantes de obter bons rendimentos. Cada um desses segmentos já tem uma previsão, em que é possível entender por quais caminhos seguirão em 2019. Essas perspectivas estão muito ligadas às taxas de juros, inflação e até mesmo à retomada da confiança do setor privado.

A seguir, entenda como renda fixa e renda variável estão em termos de previsões para 2019 e como elas devem se comportar.

As expectativas para renda fixa

É verdade que a taxa Selic desanimou um pouco os investidores em 2018. Para 2019, não há tanta expectativa de que os 6,5% irão muito além disso. Tento em vista que a renda fixa compõe seus juros em cima dessa taxa, o cenário talvez não seja o mais positivo. Ainda assim, não é recomendável descartar esses investimentos.

Outra taxa que influencia diretamente a renda fixa é a inflação, que teve queda significativa ao longo dos últimos anos. Dessa forma, esse é mais um indicador de que essa categoria de investimentos será impactada.

Por fim, o CDI também é uma taxa que serve como base de rentabilidade na renda fixa. Para 2019, o ideal é buscar investimentos que rendam 90% acima dessa taxa. Ela segue basicamente a Selic, o que fez com que ela também sofresse uma queda ao longo dos dois últimos anos.

Diante desse cenário, as melhores aplicações para renda fixa em 2019 serão:

  • CDBs;
  • Letras de Crédito (LCI e LCA);
  • Letras de Câmbio (LC);
  • Debêntures.

As expectativas para renda variável

A renda variável foi bem em 2018, na medida do possível. O mais interessante é que a perspectiva é de continuidade de subida, com uma melhora que pode ser atrelada ao novo tipo de governo que assumiu no dia 1º de janeiro de 2019. A inclinação ao liberalismo econômico traz mais otimismo ao mercado, o que valoriza os ativos.

Outro ponto que está sendo considerado são as possibilidades de privatização. A proposta também é parte da intenção de reduzir os gastos do governo, o que inclui também a redução de pastas. Todos esses fatores favorecem os grandes investidores, o que também serve para atrair o capital estrangeiro ao Brasil.

Nesse cenário, a renda variável tem tudo para ser interessante em 2019, com uma ótima oferta de ativos de diferentes companhias. Essa perspectiva de aquecimento da economia deixa a situação favorável a investimentos em papéis de empresas de alguns setores, como:

  • petróleo;
  • energia;
  • bancário;
  • empreendimento;
  • varejo.

A melhor escolha entre renda fixa e renda variável

Escolher entre renda fixa e renda variável é sempre uma decisão que envolve várias questões. O seu perfil de investidor conta muito nesse momento e, dependendo do seu nível de aceitação de risco, o caminho mais adequado é apontado facilmente.

Contudo, nem sempre o investidor quer se aventurar apenas em uma modalidade. Aplicar em renda fixa e variável é possível, especialmente com as perspectivas positivas para 2019até o momento. Diante desse cenário, ambas são possibilidades interessantes, sejam juntas, sejam em escolhas por apenas uma delas.

Renda variável deve ser a melhor escolha em 2019

Atualmente, é possível afirmar que a renda variável é a melhor escolha para 2019. Os planos de retomada da economia favorecem amplamente as aplicações dessa modalidade, justamente por ser composta de empresas privadas. Essas companhias mostrarão, ao longo do ano, maior disposição aos investimentos no setor.

Esse crescimento gera valorização dos ativos do mercado, ou seja, automaticamente, resulta em ganhos para quem tem ações. O novo plano econômico do próximo governo também deve chamar atenção do investimento externo, o que aquece o mercado financeiro.

O ano de 2019 deve reservar ótimas oportunidades na renda variável, então, vale a pena ficar de olho nela. Não se esqueça também das possibilidades da renda fixa! Por meio dela, é possível construir um bom patrimônio e ter ganhos fixos, ainda que menores.

Quer ler mais posts como este? Assine nossa newsletter e receba-os diretamente no seu e-mail!