Veja 7 dicas para melhorar sua tomada de decisão em investimentos

O mercado é dinâmico e, diante de tantas especulações e fatores macroeconômicos, investir é algo que demanda uma análise ampla. A tomada de decisão precisa ser feita, primeiramente, com base em um planejamento financeiro. Somente após esse passo você estará preparado para lidar com as variações do cenário.

Na rotina de operação, muitas situações colocarão pontos de interrogação à frente do investidor. Nesses momentos é preciso ter calma e analisar quais caminhos serão seguidos. Este post vai ajudar você a lidar com a insegurança natural que surge antes de realizar um movimento importante!

Veja por meio de 7 dicas o que é necessário para melhorar a sua tomada de decisão e ter sucesso nos investimentos!

A importância do planejamento para investir

Ter uma renda extra, formar um patrimônio e muitas outras motivações fazem com que as pessoas resolvam iniciar os investimentos. O mercado é muito movimentado e, ao mesmo tempo que proporciona grandes oportunidades, também traz riscos.

Por conta disso, o planejamento deve ser o início de qualquer movimento à frente de aplicações financeiras. É claro que qualquer um pode começar a operar com investimentos, a questão é que é necessário estar realmente pronto, e isso vai muito além de expertise e conhecimento.

Planejar-se é, primeiramente, ter a certeza de que o capital dedicado às aplicações é voltado somente para aquela finalidade. Afinal, haverá algumas perdas inevitáveis nesse caminho, e isso não pode representar prejuízos às condições financeiras do investidor.

Além disso, o capital precisa ficar à disposição de alguns investimentos, especialmente os de renda fixa. Isso garante que eles alcançarão o desempenho esperado, proporcionando rendimentos realmente valiosos.

As 7 dicas para melhorar sua tomada de decisão

Em investimentos, a tomada de decisão é um momento chave. O movimento correto pode fazer a aplicação render, mas qualquer equívoco gera prejuízos impactantes ao orçamento de quem está operando. Até mesmo os mais experientes podem errar, mas é importante buscar ser o mais preciso possível.

Por conta disso, algumas práticas básicas devem ser consideradas em qualquer atuação no mercado financeiro. A seguir, confira as 7 melhores dicas para otimizar a sua tomada de decisão e minimizar os riscos!

1. Compare rapidez na decisão com o risco do mercado financeiro

O dinamismo do mercado também exige que as decisões sejam tomadas com maior rapidez. Mais tempo que o necessário pode ser o suficiente para perder uma grande oportunidade, mas também é importante considerar que a decisão deve ser segura.

É realmente complexo tomar decisões sob pressão, no entanto, a decisão deve ser a mais equilibrada. Vale o questionamento: qual o tamanho do risco estarei correndo se fizer esse movimento rapidamente? Reflita sempre se vale a pena e avalie sobre o possível prejuízo!

2. Conheça os números reais

A renda fixa é uma ótima oportunidade de aplicar valores e conseguir construir um patrimônio a longo prazo. Os investimentos em grandes empresas, no entanto, também demandam uma análise mais aprofundada. Só assim é possível entender mais sobre os resultados que ela obteve recentemente.

É preciso estudar detalhadamente os números reais da empresa que tem seus ativos abertos no mercado. Avalie o faturamento e entenda, diante do cenário econômico do país, se essa companhia realmente teve um bom desempenho recente. Só assim é possível tomar a decisão certa quanto ao investimento.

3. Estruture o seu fluxo de caixa

O fluxo de caixa do investidor também é um ponto importante, já que ele precisa ter um controle rigoroso dos valores que entram e saem. Essa movimentação acontece devido às aplicações e aos rendimentos, contando também com as possíveis perdas. Considerar isso traz a margem de segurança necessária!

Para estruturar o fluxo de caixa, faça projeções! Diante dos seus investimentos, identifique quais serão os rendimentos esperados e então considere essas entradas futuramente, sempre com margens de segurança. Igualmente, também desenvolva perspectivas de saída para os investimentos e também de perdas esperadas.

4. Analise os indicadores

Muitas questões econômicas geram impactos no cenário financeiro e, consequentemente, nos investimentos. O âmbito macroeconômico gera muitas influências no desempenho das aplicações, e isso faz toda diferença. Todas essas variações podem ser observadas com ajuda dos indicadores.

Eles ajudam a entender sobre o interesse do mercado em ativos, as tendências de alta ou queda de preços, o otimismo geral sobre as aplicações e outras questões. Por isso, investidores devem estar sempre atentos a esses indicadores e, praticamente, acompanhá-los continuamente.

5. Faça especulações

Investimentos estão diretamente ligados às especulações. Elas causam um grande impacto no valor dos ativos, o que muitas vezes realmente se concretiza, mas em outras oportunidades não passa disso. No entanto, em meio a esse cenário, quem opera precisa estar atento e também saber especular perspectivas.

Pensar nas possíveis variações e caminhos que o mercado vai mostrar é parte fundamental do trabalho de um investidor. Ele precisa especular junto, observando o que o mercado está esperando para determinados ativos. Isso possibilita a compreensão de acordo com diversas perspectivas do mercado. Com isso, você pode tomar a decisão com uma base mais sólida e com poucos riscos.

6. Entenda e estude o mercado financeiro

Até mesmo para especular é importante conhecer o mercado financeiro a fundo. Esse é o ponto principal para entender como o mercado reage a determinados acontecimentos e como os preços dos ativos costumam variar. Uma tomada de decisão só é a mais segura possível quando há expertise sobre finanças.

Para isso, o investidor precisa estudar técnicas, teorias e, principalmente, observar incansavelmente os movimentos do mercado. Em paralelo a isso, a informação cotidiana também é indispensável. Diariamente, um clipping de notícias deve ser feito em setores como economia, política e também sobre o mercado financeiro.

7. Identifique a Taxa Mínima de Atratividade (TMA)

A TMA é a melhor ferramenta para entender se determinado investimento realmente vale a pena. A análise passa por 3 bases:

  • custo de oportunidade: análise sobre se o retorno vale o esforço e o capital aplicado, sempre considerando se o mesmo lucro não poderia ser obtido em outra aplicação, com condições melhores;
  • risco do negócio: avaliação de todos os riscos possíveis de perdas e prejuízos que o investimento pode oferecer. A ideia é entender se o ganho é maior e faz valer a pena;
  • liquidez: capacidade de gerar dinheiro rápido a qualquer momento nessa operação, ou seja, o conceito de liquidez tradicional.

A tomada de decisão é complexa e envolve muitos fatores, porém, quando feita da maneira certa e com bases sólidas, pode render bons investimentos!

A Fast Trade é uma plataforma de negociações ideal para quem opera com ativos de renda variável e precisa de dinamismo e facilidade em uma ferramenta. Conheça!

Fast Trade

Com o uso do Fast Trade, é possível montar estudos, analisar gráficos e aprofundar-se com eficiência no cotidiano da Bolsa de Valores e em suas modificações constantes – tendo assim diversos benefícios, como:

  • Simulador de Investimentos
  • Estudos Gráficos
  • Ferramentas de Análises
  • Feed de dados mais utilizado no Brasil
  • Acompanhamento em tempo real
  • Tape Reading
  • Cotações Internacionais (CFDs) e mais

Além disso, simule suas operações e teste suas estratégias todos os dias com R$100.000,00. Estamos habilitados em 13 corretoras no país, comece agora! Baixe gratuitamente!

Leave a Reply

Your email address will not be published.