Bolsas da Ásia fecham em queda com Hong Kong, Argentina e EUA-China no radar

As Bolsas da Ásia encerraram em queda nesta terça-feira (13), em atenção aos diferentes focos de tensão internacional, que têm influenciado o desempenho dos mercados.

Em Hong Kong, o aeroporto foi reaberto depois de um dia de interdição devido a um protesto realizado pela população na sessão de ontem.

Há cerca de 10 semanas, o governo local tem sofrido com manifestações constantes, que começaram em um ato popular contra um projeto de lei que autorizava a extradição de presos para serem julgados na China.

Depois disso, os cidadãos se rebelaram e o território semiautônomo está em conflito exigindo a renúncia da chefe do poder executivo, Carrie Lam, que é conivente com a influência de Pequim.

Outro fato que pressionou a demanda por ativos de risco foi a derrota do atual presidente da Argentina, Maurício Macri, durantes as primárias das eleições presidenciais.

Com a vitória da oposição praticamente consolidada, o sentimento de risco desencadeou uma expressiva queda no peso argentino, nas ações locais e nos títulos públicos do país.

Também no radar, os investidores continuaram atentos à disputa comercial entre Estados Unidos e China, em meio à sinais de que não haverá um acordo entre os dois países no curto prazo.

Mercados da China e Japão

Na cidade de Xangai, o Xangai Composto recuou 0,63% aos 2.797 pontos e em Shenzhen, o menos abrangente SZSE Component caiu 0,85% aos 8.902 pontos.

Em Tóquio, a volta do feriado foi negativa com o Nikkei registrando queda de 1,11% aos 20.455 pontos, com o iene permanecendo estável a 105,32 na paridade contra o dólar.

As ações das companhias do setor de exportação, como a Subaru (-3,6%) e a TDK Corp (-3,1%), tiveram perdas devido ao fortalecimento da moeda local.

Demais Bolsas asiáticas

O índice Hang Seng, da turbulenta cidade de Hong Kong, desabou 2,10% aos 25.281 pontos, alcançando o menor patamar em sete meses.

Na Bolsa do Seul, o Kospi declinou 0,85% aos 1.925 pontos, interrompendo uma sequência de três pregões em território positivo.

Na manhã de ontem, o governo da Coreia do Sul anunciou a retirada do Japão como parceiro comercial preferencial, acentuando a divergência entre os dois países.

Em Mumbai, o Nifty 50 desvalorizou 1,65% aos 10.925 pontos e na Indonésia, o IDX Composite perdeu 0,63% aos 6.210 pontos.

Mercados da Oceania

O mau humor também derrubou as Bolsas da Oceania! O S&P ASX 200, de Sidney, cedeu 0,33% aos 6.568 pontos, com o dólar australiano subindo 0,15%, para 0,6759 por dólar americano.

O neozelandês NZX 50 apresentou leve queda de 0,17% aos 10.854 pontos, com os setores de energia e telecomunicações liderando a baixa da sessão.

      Cidade Índice 12/08 13/08
Sidney S&P ASX 200 +0,09% -0,33%
Wellington NZX 50 -00% -0,17%
Hong Kong Hang Seng -0,44% -2,10%
Seul Kospi +0,23% -0,85%
Tóquio Nikkei 225 Não operou -1,11%
Mumbai Nifty 50 Não operou -1,65%
Jacarta IDX Composite -0,50% -0,63%
Xangai Xangai Composto +1,45% -0,63%
Shenzhen SZSE Component +2,09% -0,85%