Bolsas da Ásia fecham majoritariamente em alta com aceno dos EUA à China e BCE

As Bolsas asiáticas encerraram majoritariamente em alta nesta quinta-feira (12), refletindo o alívio na guerra comercial proveniente do aceno de Washington à Pequim.

Na noite de ontem, o presidente Donald Trump, publicou em sua conta no Twitter que pretende adiar o aumento das tarifas sobre US$250 bilhões de produtos importados da China para dia 15 de outubro.

Trump acrescentou que esse pedido teria sido feito pelo vice-primeiro ministro chinês, Liu He, em razão da comemoração de 70º aniversário da criação da República Popular da China, que será no próximo dia 01.

Ele disse que a decisão foi um gesto de boa vontade na guerra comercial e o comunicado oficial foi divulgado horas depois de o governo chinês anunciar a isenção de 16 classes de produtos americanos pelo período de um ano, a partir do dia 17 de setembro.

Hoje de manhã, o Ministério do Comércio chinês publicou uma nota elogiando a postura de Washington e dizendo que as empresas locais estão levantando suas necessidades de bens e produtos agrícolas para retomar as compras dos EUA.

Com esse clima de otimismo, os investidores renovaram o apetite ao risco e saíram em busca de novas oportunidades com ativos emergentes, enquanto esperam pelo Banco Central Europeu.

Por volta das 08h45 (horário de Brasília), a autoridade monetária do velho continente realizará um pronunciamento contendo a decisão sobre a condução da política de juros na zona do euro.

A previsão do mercado é que o BCE anuncie a aplicação de novas medidas para sustentar o crescimento das atividades, que estão em pleno ritmo de desaceleração.

Mercados da China e Japão

Nos mercados chineses, o Xangai Composto, da cidade de Xangai, subiu 0,75% aos 3.031 pontos e em Shenzhen, o SZSE Component avançou 0,67% aos 9.919 pontos.

Na capital Tóquio, o Nikkei 225 teve alta de 0,75% aos 21.759 pontos, com as ações dos fabricantes de semicondutores e componentes robóticos acentuando os ganhos.

Com destaque para as companhias Fanuc Corp (+2,2%), Advantest (+4,1%) e Tokyo Electron (+2,7%), que valorizaram devido à maior exposição à demanda chinesa.

Demais Bolsas asiáticas

Em Hong Kong, o Hang Seng caiu 0,26% aos 27.087 pontos, com as companhias dos setores bancário e imobiliário liderando as perdas da sessão.

Na Coreia do Sul, os mercados acionários não operaram devido à um feriado religioso nacional.

Na cidade de Jacarta, o IDX Composite recuou 0,62% aos 6.342 pontos e o indiano Nifty 50 caiu 0,48% aos 10.982 pontos.

Mercados da Oceania

Na Austrália, o S&P ASX 200 cresceu 0,25% aos 6.645 pontos, alcançando o maior nível das últimas seis semanas.

Na cidade de Wellington, o NZX 50 cedeu 0,18% aos 10.905 pontos, com os setores de energia, consumo não cíclico e transportes pressionando a queda do índice.

 

 Cidade Índice 11/09 12/09
Sidney S&P ASX 200 +0,36% +0,25%
Wellington NZX 50 -1,95% -0,18%
Hong Kong Hang Seng +1,78% -0,26%
Seul Kospi +0,84% Não operou
Tóquio Nikkei 225 +0,96% +0,75%
Mumbai Nifty 50 +0,30% -0,48%
Jacarta IDX Composite +0,71% -0,62%
Xangai Xangai Composto -0,41% +0,75%
Shenzhen SZSE Component -1,12% +0,67%