Com Previdência dos Militares e prisão de Michel Temer, Ibovespa desaba 2% e dólar sobe a R$3,82

O pregão de hoje continuou repercutindo as movimentações da véspera. Operando em baixa desde a abertura, o Ibovespa aprofundava perdas em atenção ao cenário político local. A proposta de Reforma da Previdência dos Militares, que foi entregue ontem ao Congresso, causou uma reação negativa nos parlamentares, até mesmo os da base aliada do governo. Com isso, se tornou mais difícil articular a aprovação da Previdência geral, já que o governo não possui maioria dos votos e há grande insatisfação em relação à proposta dos militares.

Manual do Imposto de Renda para Investidores

Para completar, foi divulgada agora há pouco a prisão do ex-presidente Michel Temer, em mais uma etapa da operação Lava Jato, o que azedou de vez o desempenho do índice geral da B3. Ás 12h14 (horário de Brasília), a Bolsa brasileira desabava 2,03%, aos 96.036 pontos, registrando um giro financeiro de R$4,288 bilhões. O dólar comercial avançava 1,62%, sendo cotado a R$3,82, em um dia de forte oscilação no câmbio. O fortalecimento da divisa americana contra o real reflete o descontentamento do Congresso com o Executivo, bem como, a redução da popularidade de Jair Bolsonaro frente aos eleitores.

Reforma da Previdência: O Futuro Dos Investimentos No Congresso Nacional

Como resultado, os investidores buscam maior proteção no dólar e pressiona a queda da moeda brasileira. No mercado de juros futuros, a situação segue em linha às flutuações do câmbio, com as taxas dos contratos subindo ligeiramente em todos os períodos. O DI com vencimento para agosto/2019 aumentava 0,63%, sendo vendido a 6,39% (6,35% no ajuste anterior), o DI para setembro/2022 disparava 2,44%, sendo negociado a 7,98% (7,79% no ajuste anterior) e o DI para dezembro/2027 avançava 1,47%, sendo comercializado a 8,98% (8,85% no ajuste anterior).

Relatório Especial: Fundos Imobiliários

As ações de maior liquidez operavam em território negativo, com destaque para as companhias do setor bancário, Petrobras e Eletrobras, que lideravam as perdas da sessão.

E-book: Guia completo e definitivo da Previdência Privada

Vale – A companhia interrompeu temporariamente as atividades na mina Alegria, que fica no complexo de Mariana, apesar das estruturas locais se encontrarem dentro dos parâmetros de estabilidade. Em uma notificação, um fato relevante indicou que, sob condições de estresse, os resultados das análises preliminares nas estruturas gerais foram inconclusivos, não sendo possível atestar com absoluta certeza, que as instalações estão em segurança. A Vale afirmou que as operações serão retomadas assim que um estudo mais aprofundado for concluído, sinalizando que o impacto na produção será de aproximadamente 10 mil toneladas por ano.

Eletrobras – O governo anunciou que vai acelerar os planos de privatização da Eletrobras, visando aumentar a arrecadação dos cofres públicos. Em anterior decisão, o Ministério da Economia e o Ministério de Minas e Energia haviam sinalizado de que os trâmites do processo ficariam somente para 2020, contudo, haverá a equipe se empenhará para viabilizar uma alternativa ainda este ano. O modelo que será utilizado no processo deverá ser definido até no mês de junho. As estimativas de arrecadação com a companhia de Centrais Elétricas é de aproximadamente R$12,2 bilhões.

E-book: Guia completo para investimento em renda fixa

COMPANHIAS ESTATAIS
Petrobras (PETR3) -2,27% Vale (VALE3) +0,63%
Petrobras (PETR4) -2,24% Embraer (EMBR3) +0,16%
Eletrobras (ELET3) -1,70% Banco do Brasil (BBAS3) -2,08%
Eletrobras (ELET6) -3,19% Cemig (CMIG4) -3,12%

Baixe o Infográfico: 5 motivos – Por Que Investir na Bolsa Agora É Um Bom Negócio

SETOR BANCÁRIO SETOR SIDERÚRGICO
Itaú Unibanco (ITUB3) -3,07% Usiminas (USIM3) -2,64%
Santander (SANB11) -2,37% CSN (CSNA3) -2,52%
Bradesco (BBDC3) -3,19% Gerdau (GGBR4) -0,77%