Destaques da semana: Previdência, prévia do PIB e mais

A semana reserva ainda algumas novidades sobre a reforma da Previdência, bem como a publicação da prévia do PIB brasileiro.

Embora o otimismo tenha dominado parte da semana passada, os últimos dias foram de apreensão com o adiamento da reforma.

Por mais que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, tenha reforçado que a intenção era encerrar a votação até a noite da última sexta-feira (12) ou, no máximo, sábado pela manhã, isso não aconteceu.

Em função disso, o término de votação da Previdência ficará para após o recesso parlamentar, que tem início nesta semana.

Há ainda previsão de atividades no Congresso, mas a expectativa é de poucas chances de progresso sobre a respectiva pauta.

Após uma rápida votação da reforma em primeiro turno no plenário, o texto travou na discussão dos destaques (alterações na proposta).

A comissão especial da reforma aprovou o texto na madrugada de sábado (13), por 35 votos favoráveis e 12 contrários.

Antes disso, Maia havia sinalizado que a votação recomeçará em agosto (6), com previsão de conclusão para o dia 8.

Na próxima etapa de tramitação, não será mais possível alterar o texto, mas sim retirar trechos, as chamadas “emendas supressivas”.

Indicadores econômicos: prévia do PIB brasileiro; PIB chinês do segundo trimestre e mais

A semana reserva uma agenda de indicadores internos mais “fraca’.

Considerado uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) é destaque em nossa agenda doméstica.

O dado será publicado amanhã (15) e, de acordo com a XP Investimentos, a expectativa é por alta de 0,03%.

Na última sexta-feira  (12), o Ministério da Economia revisou para baixo as expectativas para o crescimento do Produto Interno Bruto do Brasil em 2019, que passou de 1,6% para 0,81%.

Além disso, no mesmo dia, os números de criação de empregos formais também se destacam na agenda interna de indicadores.

Posteriormente, na quinta-feira (18), é dia de saber a confiança industrial, publicado pela CNI.

No exterior, a semana promete mais agitação, a começar pelos Estados Unidos e os números de vendas no varejo.

Assim como as vendas no varejo, a produção industrial e confiança do construtor, estão previstos para terça-feira (16).

Na sexta-feira (19), o dado de confiança do consumidor é esperado.

Por fim, a China divulgará amanhã (15) o PIB do segundo trimestre. O mercado projeta alta de 6,2% na economia.

No mesmo dia, saem ainda os números de produção industrial e investimentos em ativos.

Leia mais:

Ibovespa recua aos 103 mil com 2º turno de votações da Previdência só em Agosto

Dólar tem queda semanal de 2,15% e fecha a R$3,73 de olho no Fed