Futuros de petróleo fecham mistos refletindo incertezas geopolíticas e aumento nos estoques dos EUA

Os preços do petróleo encerraram o pregão desta quarta-feira (09) sem apresentar uma direção comum, refletindo as incertezas geopolíticas no exterior e o aumento dos estoques nos Estados Unidos.

Os contratos futuros operaram em alta a maior parte do dia, após a China sinalizar que está aberta a um acordo comercial com os EUA, mesmo que seja de abrangência parcial.

Contudo, após a divulgação dos dados sobre os estoques americanos da commodity, as cotações sofreram grande pressão vendedora.

Na semana passada, as reservas de óleo bruto subiram 2,927 milhões de barris, alcançando o patamar de 425,569 milhões, superando as projeções dos especialistas para o período.

As negociações ainda ganharam um fôlego parcial com a notícia de que a Turquia está realizando uma investida militar no norte da Síria.

Qualquer situação de tensão no Oriente Médio pode vir a prejudicar os níveis de oferta global, já que a região concentra a maior produção em escala. Por esse motivo, os preços são tão sensíveis ao noticiário local.

Como resultado, o petróleo vendido no West Texas Intermediate (WTI) para entrega em novembro registrou leve queda de 0,07%, sendo negociado a US$52,59 o barril.

Já o petróleo Brent para dezembro, comercializado na ICE de Londres, fechou em alta de 0,13%, na cotação de US$58,32 o barril.