Ibovespa dispara aos 105 mil com anúncio dovish do Copom e valorização da Petrobras

Mesmo antes da abertura do mercado, os índices futuros sinalizavam para um pregão positivo, impulsionado pelo anúncio mais dovish do Comitê de Política Monetária (Copom).

Na tarde de ontem, após o fechamento do mercado brasileiro, o Copom divulgou a sua decisão de reduzir em 0,50% a taxa Selic, que passou a ser fixada em 5,5% ao ano.

Embora os investidores já estivessem esperando por este desfecho, o comunicado do Banco Central reforçando a continuidade do ciclo de flexibilização dos juros renovou o apetite ao risco.

Como resultado, muitos especialistas já começaram a projetar cenários, nos quais, a taxa de juros estará abaixo do patamar de 5% ao ano.

O que significa que os investimentos em renda fixa ficarão menos atrativos do que os investimentos em renda variável, pressionando a migração do capital para as ações na Bolsa.

O Ibovespa repercutia esse movimento saltando aos 105 mil pontos, puxado também pela valorização das ações da Petrobras.

Nesta sessão, a estatal avançava em atenção ao reajuste nos preços da gasolina (+3,5%) e do diesel (+4,2%) nas refinarias, demonstrando a independência de sua gestão em relação às diretrizes do governo federal.

A petroleira também acompanhava a alta dos preços do petróleo no exterior, após o presidente dos EUA, Donald Trump, afirmar que talvez não tenha como alcançar uma solução pacífica para os conflitos com o Irã.

Durante as primeiras horas de negociação na B3, também se destacavam as empresas do setor de consumo doméstico, em reação ao estímulo local de corte nos juros.

Multiplan (MULT3) subia 4,01%, B2W Digital (BTOW3) crescia 4,88%, Via Varejo (VVAR3) adicionava 4,13% e Cyrela (CYRE3) ganhava 3,20%.

Nesse contexto, às 12h26 (horário de Brasília), a Bolsa brasileira disparava 0,87%, aos 105.433 pontos, anotando um volume financeiro de R$4,793 bilhões.

Dólar salta a R$4,14 repercutindo Copom e exterior adverso

Em alta desde a abertura, o dólar registrava trajetória ascendente na paridade com as principais divisas mais líquidas, em um sinal claro de cautela devido à adversidade do ambiente externo.

Os Estados Unidos classificaram como “ato de guerra” os ataques à estrutura petrolífera da Arábia Saudita e estão atribuindo a responsabilidade pelo ocorrido ao Irã.

Como resposta, o país persa realizou ameaças veladas a Washington e seus aliados, dizendo inclusive, que está preparado para qualquer ofensiva.

Por aqui, as movimentações repercutiam exclusivamente a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), que reduziu a taxa Selic em 0,50%, passando ao nível de 5,5% ao ano.

Além disso, as perspectivas de continuidade do ciclo de flexibilização no curto prazo são muito sólidas, conforme o comunicado publicado ontem pelo Banco Central.

O câmbio local reagia negativamente à notícia, porque um cenário de juros mais baixos implica necessariamente na perda de atratividade da moeda brasileira para atividades de arbitragem.

Ás 12h26 (horário de Brasília), o dólar comercial subia 0,97% contra o real, sendo cotado a R$4,1430 na venda, próximo à máxima do dia.

No sentido oposto, os contratos de juros futuros operavam em expressiva queda, com os investidores de renda fixa reduzindo suas posições líquidas vendidas em taxa, após precificar o afrouxamento monetário promovido pelo Copom.

O DI maio/2020 caía 2,87%, sendo negociado a 4,90% (5,05% no ajuste anterior) e o DI janeiro/2024 declinava 2,57%, sendo vendido a 6,45% (6,61% no ajuste anterior).

Noticiário Corporativo: Usiminas planeja investir R$219,8 milhões em MG

A Usiminas (USIM5) assinou junto ao governo do Estado de Minas Gerais um compromisso de investimento no montante de R$219,8 milhões, nas atividades de mineração e siderurgia.

O protocolo de intenções foi celebrado em parceria com suas empresas controladas Mineração Usiminas S/A (conhecida como Musa) e Unigal Usiminas Ltda.

No planejamento inicial, a previsão é gerar 330 empregos diretos ainda em 2019, recrutados, de preferência, nas regiões onde serão empregados os investimentos.

Em nota, a companhia explicou que esse valor não altera as projeções de investimento anteriormente programadas para este ano, mas, se insere neste contexto, como um acréscimo.