Ibovespa opera em alta à espera de novidades no cenário político

O pregão de hoje começou em clima de cautela, com os investidores aguardando novidades no cenário político, principalmente, sobre a pauta de votação na Câmara dos Deputados.

Para a sessão de hoje, está prevista a votação da Medida Provisória 870, que reduz o número de ministérios e organiza alguns setores do poder executivo.

O mercado se animou com a notícia de que o Congresso tomou para si a responsabilidade de articular e aprovar a reforma da Previdência e a reforma Tributária.

Também fortaleceu o otimismo local a decisão do presidente Jair Bolsonaro de não comparecer às manifestações convocadas para o próximo domingo, embora sejam favoráveis ao governo.

Como justificativa do posicionamento adotado, o porta-voz do Planalto afirmou que “o presidente não endossa pautas que pedem o fechamento do Congresso e do STF Supremo Tribunal Federal”.

Nesse contexto, às 12h17 (horário de Brasília), o Ibovespa avançava 0,34%, aos 94.837 pontos, depois de oscilar próximo à estabilidade. O giro financeiro até o momento era de R$4,565 bilhões.

Dólar faz pregão de ajustes e recua a R$4,02

Operando em queda desde e abertura, o dólar faz um pregão de ajustes, depreciando contra as principais moedas no exterior.

Por aqui, o otimismo com o cenário político pressiona um movimento de queda mais acentuado, seguindo as perspectivas de melhora entre o relacionamento do governo com o Congresso.

Às 12h17 (horário de Brasília), o dólar comercial recuava 0,54% contra o real brasileiro, sendo cotado a R$4,02, atuando em linha com o desempenho dos pares emergentes.

Na renda fixa, os contratos de juros futuros vivenciavam novo dia de redução nas taxas ao longo da curva a termo, com os investidores atentos aos desdobramentos da articulação dos deputados na Câmara.

O DI abril/2020 caía 0,69%, sendo negociado a 6,43% (6,44% no ajuste anterior) e o DI setembro/2022 caía 0,88%, sendo comercializado a 7,86% (7,93% no ajuste anterior).

Noticiário Corporativo

Braskem (BRKM5) – Os acionistas da Braskem devem ser reunir hoje na assembleia geral extraordinária para deliberar sobre a troca dos membros do Conselho de Administração.

Esta é mais uma etapa do processo de revisão dos controles internos, que culminou na não entrega do formulário F-20 dentro do prazo e causou transtornos à companhia no cenário internacional.

Segundo informações divulgadas pelo Valor, a empresa PwC, que realizava a auditoria dos balanços da Braskem nos EUA, questionou a atuação de determinados executivos do conselho ligados à Odebrecht.

BRF (BRFS3) – A BRF está à procura de um sócio estratégico, antes de entrar definitivamente no mercado de carne de frango na Arábia Saudita.

Para isso, a companhia pretende oferecer uma pequena participação em alguns de seus negócios, conforme divulgação do Valor Econômico.

Além disso, os executivos estariam considerando vender parte dos ativos ligados à rede de distribuição no Oriente Médio e na fábrica de alimentos instalada em Abu Dhabi.

Comportamento das ações na B3

As ações de maior liquidez apresentavam um desempenho misto, com perdas e ganhos para diferentes setores. A seguir, as máximas do momento:

  • Gol (GOLL4) +3,36%
  • CSN (CSNA3) +4,03%
  • Vale (VALE3) +2,66%
COMPANHIAS ESTATAIS
Petrobras (PETR3) -0,40% Vale (VALE3) +2,66%
Petrobras (PETR4) -0,70% Embraer (EMBR3) +0,37%
Eletrobras (ELET3) +0,30% Banco do Brasil (BBAS3) +0,91%
Eletrobras (ELET6) +0,32% Cemig (CMIG4) +0,58%

E-book: Guia completo e definitivo da Previdência Privada

SETOR BANCÁRIO SETOR SIDERÚRGICO
Itaú Unibanco (ITUB3) +0,10% Usiminas (USIM3) +0,29%
Santander (SANB11) -1,03% CSN (CSNA3) +5,07%
Bradesco (BBDC3) -0,39% Gerdau (GGBR4) +1,26%