Ibovespa oscila mas fecha negativo com foco no cenário político

Na ausência de grandes catalisadores, o Ibovespa rondou a estabilidade neste pregão. Com o cenário externo tranquilo, o mercado reagiu intensamente às movimentações da política.

Os investidores ficam otimistas após o Centrão assumir a liderança na condução da agenda econômica, blindando os procedimentos ligados à reforma da Previdência e à reforma Tributária.

Além disso, há grande expectativa na votação da Medida Provisória 870, que deve ser aprovada na sessão de hoje, mantendo a organização do poder executivo com um número reduzido de ministérios.

Também contribuiu com o tom positivo das negociações o clima de trégua entre o governo e os parlamentares, que se mostraram dispostos a superar as diferenças para concretizar as reformas.

Como resultado, a Bolsa brasileira encerrou com variação negativa de 0,13%, aos 94.360 pontos, com um volume financeiro de R$11,103 bilhões.

Dólar fecha a R$4,04 em dia de baixa oscilação

O dólar comercial fechou em leve queda de 0,12% contra o real brasileiro, sendo cotado a R$4,04, em um dia de enfraquecimento da divisa no exterior.

Oscilando durante todo o pregão, a moeda dos EUA perdeu terreno contra as principais divisas globais, sobretudo as emergentes, refletindo o clima de cautela no mercado de câmbio.

Os contratos de juros futuros encerraram com leve redução nas taxas, com os investidores de renda fixa voltando as atenções aos acontecimentos no cenário político.

O alívio nas tensões entre o governo e o Congresso elevou as expectativas do mercado, já que a reforma da Previdência, que é o objetivo principal deste ano, está sendo blindada pelos parlamentares.

O DI novembro/2019 caiu para 6,41% (6,42% no ajuste anterior), o DI março/2023 declinou para 8,11% (8,16% no ajuste anterior) e o DI dezembro/2025 fechou estável, sendo vendido a 8,78%.

Mercado de Commodities

Petróleo – Os contratos futuros de Petróleo encerraram com expressiva queda nos preços após o relatório do Departamento de Energia dos EUA revelar ligeiro aumento nos estoques da commodity.

Os registros mostraram que as reservas do produto atingiram o maior nível em 22 meses, somando 477 milhões de barris, o que pressionou a redução nos índices futuros.

Com isso, o petróleo WTI para entrega em junho declinou 2,70%, sendo cotado a US$61,42 o barril e o petróleo Brent para entrega em julho recuou 1,64%, sendo cotado a US$70,99 o barril.

Noticiário Corporativo

Gol (GOLL4) e Azul (AZUL4) – Na sessão de ontem, a Câmara dos Deputados aprovou a Medida Provisória que permite a presença de até 100% do capital estrangeiro nas companhias aéreas nacionais.

O trecho que autorizava a cobrança por bagagens despachadas foi vetado pelos parlamentares e, a partir da vigência da lei, os passageiros poderão viajar com malas de até 23 kg sem custo adicional.

O documento legislativo também admite que empresas estrangeiras operem em rotas domésticas no país, influenciando nas projeções e expectativas da Gol e da Azul.

Petrobras (PETR4) – A Petrobras comunicou ao Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) sua intenção de exercer o direito de preferência na licitação dos volumes à Cessão Onerosa no pré-sal.

O interesse principal da companhia seria nas áreas de desenvolvimento de Búzios e Itaipu, com percentual de 30%, tendo como referência os parâmetros divulgados na Resolução do CNPE nº 08, de 09/05/2019.

Em comunicado, a estatal informou que o bônus de assinatura a ser pago será de aproximadamente R$20,9 bilhões, caso seja confirmado o percentual de participação conforme a Resolução supracitada.

Conforme determinou o Conselho de Administração, a efetivação do aditivo ao Contrato de Cessão Onerosa deve ocorrer antes do leilão dos volumes excedentes e está sujeita às condições preestabelecidas.

Movimentações na B3

As ações de maior liquidez da Bovespa encerraram com desempenho misto, entre perdas e ganhos para alguns setores. Com destaque para as companhias que mais desvalorizaram:

  • Marfrig (MRFG3) -2,98%
  • B2W Digital (BTOW3) -3,35%
  • Ecorodovias (ECOR3) -2,50%
  • Multiplan (MULT3) -2,15%
  • Santander (SANB11) -1,41%
COMPANHIAS ESTATAIS
Ativo 21/05 22/05 Ativo 21/05 22/05
Petrobras (PETR3) +2,92% -0,05% Vale (VALE3) +2,03% +0,42%
Petrobras (PETR4) +3,45% -0,44% Embraer (EMBR3) +2,04% +0,37%
Eletrobras (ELET3) +5,44% -1,04% Banco do Brasil (BBAS3) +5,75% -0,36%
Eletrobras (ELET6) +4,32% -0,40% Cemig (CMIG4) +5,23% -0,07%

E-book: Guia completo e definitivo da Previdência Privada

SETOR BANCÁRIO SETOR SIDERÚRGICO
Ativo 21/05 22/05 Ativo 21/05 22/05
Itaú Unibanco (ITUB3) +3,50% +0,52% Usiminas (USIM3) +2,60% 00%
Santander (SANB11) +3,76% -1,41% CSN (CSNA3) +7,93% +3,43%
Bradesco (BBDC3) +4,32% -0,75% Gerdau (GGBR4) +3,77% +0,07%