Ibovespa salta 1,53% com alta das commodities e votação do crédito suplementar

O Ibovespa avançou neste pregão, impulsionado pela valorização de 6% do minério de ferro no mercado internacional, após a China anunciar a adoção de mais estímulos econômicos.

O governo chinês vai permitir a emissão de bônus com propósito específico para que as lideranças locais possam investir em grandes projetos de infraestrutura.

Com isso, crescem as expectativas pelo aumento da demanda no gigante asiático por aço e combustíveis derivados do petróleo, o que culminou na alta das commodities.

No cenário interno, os investidores comemoraram a votação do crédito suplementar solicitado pelo governo no valor de R$248,9 bilhões, que foi aprovado na Comissão Mista de Orçamento.

Neste momento, o Congresso está votando o referido projeto em sessão conjunta (Câmara e Senado) e as lideranças do governo negociaram com a oposição algumas concessões em troca de apoio.

O Planalto concordou em cancelar uma portaria da Funasa que solicitava a revisão de empenho, direcionar recursos ao Minha Casa Minha Vida, farmácia popular e CNPq e descontingenciar as verbas da educação.

O mercado havia ficado receoso que o vazamento das conversas do ministro Sérgio Moro pudesse afetar a tramitação da agenda econômica, mas os parlamentares decidiram “blindar” as reformas e dar sequência aos trabalhos.

Como resultado, a Bolsa brasileira saltou 1,53%, aos 98.960 pontos, registrando um volume financeiro de R$13,755 bilhões.

Dólar recua a R$3,85 com exterior positivo e governabilidade no Congresso

No mercado de câmbio brasileiro, o dólar comercial teve um dia de forte desvalorização impulsionado pelo clima positivo no exterior e pelas articulações no Congresso.

Na sessão de hoje, a Comissão Mista de Orçamento aprovou o projeto de lei de concede um crédito suplementar ao governo no valor de R$248,9 bilhões.

A votação estava ameaça devido ao recente imbróglio envolvendo o ministro da Justiça, Sérgio Moro, mas o governo conseguiu negociar com a oposição e demonstrou sua governabilidade diante do Congresso.

O fato animou os investidores e o real apresentou o terceiro melhor desempenho contra a divisa americana, ficando atrás apenas do peso chileno e do rand sul-africano.

No fim das operações, o dólar comercial encerrou em queda de 0,87%, sendo cotado a R$3,8500 na venda, registrando o menor nível de fechamento desde abril.

Com o cenário político mais amistoso, os contratos de juros futuros fecharam com redução nas taxas em todos os períodos e o mercado segue retirando o prêmio de risco dos ativos.

Em meio às incertezas sobre possíveis impactos do caso Moro, a atitude do Congresso de concentrar esforços na agenda econômica, reforçou o ambiente positivo para investimentos.

O DI janeiro/2020 ficou estável, sendo vendido a 6,18% e o DI janeiro/2024 recuou para 7,38% (7,49% no ajuste anterior).

Petróleo desacelera e fecha estável com redução de estimativas pelo DoE

Depois de saltar mais de 1% em expectativa ao aumento na demanda, os contratos futuros de petróleo fecharam próximos à estabilidade.

A commodity desacelerou os ganhos após o Departamento de Energia (DoE) dos Estados Unidos reduzir suas estimativas de preço e níveis de produção para o final de 2019.

A agência cortou em 1% as projeções de produção em relação a maio, apostando na extração de 12,32 milhões de barris por dia.

Os preços do WTI tiveram suas estimativas para 2019 depreciadas em 5,6%, ficando em US$59,29 o barril, enquanto as previsões do Brent indicaram um recuo de 4,2%, chegando a US$66,69 o barril.

No fechamento da sessão, o petróleo WTI para entrega em julho teve variação positiva de 0,02%, sendo cotado a US$53,27 o barril e o petróleo Brent para agosto permaneceu estável, sendo cotado a US$62,29 o barril.

Noticiário Corporativo

Cemig (CMIG4) – O presidente da Cemig, Cledorvino Belini, participou de uma sabatina na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, defendendo a proposta de privatização da companhia.

O executivo argumentou que nos últimos anos, a estatal mineira de energia cresceu sem recursos para sustentar os investimentos necessários, que só seriam obtidos através da venda.

Ele também acrescentou que quase R$6 bilhões deixaram de ser investidos por falta de dinheiro e ressaltou a importância de se modernizar que a infraestrutura de transmissão e distribuição de energia.

Gol (GOLL4) – Segundo notícia publicada pelo Valor Econômico, as companhias aéreas que atuam no mercado brasileiro estão aguardando os desdobramentos judiciais da situação da Avianca.

Se for decretada a falência da empresa, a Agência Nacional de Aviação Civil deverá redistribuir igualmente os horários de pousos e decolagens entre as concorrentes que operam nos aeroportos.

A decisão sobre a situação jurídica da Avianca seria tomada ontem, mas foi adiada para semana que vem devido ao estado de saúde do desembargador responsável pelo processo, Ricardo Negrão.

Movimentações na B3

A seguir, as ações de maior liquidez da Bovespa que mais avançaram na sessão de hoje:

COMPANHIAS ESTATAIS
Ativo 10/06 11/06 Ativo 10/06 11/06
Petrobras (PETR3) -1,94% +2,04% Vale (VALE3) -0,84% +6,74%
Petrobras (PETR4) -0,41% +2,03% Embraer (EMBR3) -0,32% +0,38%
Eletrobras (ELET3) -1,56% +3,05% Banco do Brasil (BBAS3) -1,07% +1,97%
Eletrobras (ELET6) -1,57% +2,31% Cemig (CMIG4) -2,57% +2,59%

Carteiras Recomendadas de Ações – Junho 2019

SETOR BANCÁRIO SETOR SIDERÚRGICO
Ativo 10/06 11/06 Ativo 10/06 11/06
Itaú Unibanco (ITUB3) -1,79% +1,08% Usiminas (USIM3) +2,07% +1,93%
Santander (SANB11) -2,00% -0,09% CSN (CSNA3) +3,92% +5,80%
Bradesco (BBDC3) -0,94% +0,31% Gerdau (GGBR4) +1,65% +3,25%

Leave a Reply

Your email address will not be published.