Medo de recessão acelera inversão na curva de juros da dívida americana

A procura por proteção contra o que parece ser uma recessão nos Estados Unidos está levando a uma forte inversão da curva dos títulos de dívida soberana do país – fenômeno que se dá quando os investidores estão seguros de que a atividade econômica vai recuar de forma significativa nos próximos dois anos.

A diferença entre o rendimento dos Treasury notes de dois e de dez anos caiu abaixo de zero, após a onda de divulgações de dados econômicos fracos em Ásia e Europa hoje e o recente acirramento da guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, disseram investidores. Na noite de ontem, dados de vendas no varejo e da produção industrial na China frustraram o consenso, definindo o clima de hoje para os mercados, cuja trajetória foi firmada com dados que mostraram uma contração na economia alemã no segundo trimestre e desaceleração do crescimento na Zona do Euro.

Basicamente, o fenômeno pelo qual os juros de menor prazo, como os de dois anos, se colocam acima dos de maior prazo, como os de dez anos, sinaliza que, para os investidores, há uma demora na redução da taxa-alvo básica de juros. A diferença entre os chamados Treasury yields de dois e dez anos atingiu momentaneamente, na manhã de hoje, 3 pontos-base negativos, a pior em quase 14 anos.

A inversão na curva de juros é preocupante, segundo membros experientes da comunidade TC, porque sugere que o investidor prefere segurança a retorno. A curva de juros em qualquer país é tipicamente ascendente, já que se espera que investimentos de mais longo prazo paguem mais para compensar o risco de ter o dinheiro parado nesse instrumento por mais tempo. Os juros dos Treasuries de dois anos têm se contraído de forma mais rápida do que os de prazos mais longos, refletindo as dúvidas do investidor quanto à saúde da economia americana.

Os rendimentos dos Treasuries de 30 anos também tocaram, na manhã desta quarta-feira, mínima histórica. Coincidentemente, no Reino Unido, também houve inversão da curva de juros hoje: a diferença entre os Guilds britânicos de dois e dez anos chegou a 2,5 pontos-base.

A última inversão da curva dos Treasury yields de dois e dez anos de juros foi em dezembro de 2005, dois anos antes de uma recessão provocada pela crise financeira. Segundo um estudo do Credit Suisse divulgado nesta semana, uma recessão ocorre, em média, 22 meses após a inversão. Economistas do banco suíço também disseram que as últimas cinco inversões na mesma parte da curva de juros acabaram por levar a recessões. Só após 18 meses após uma inversão, o mercado de ações nos EUA vira e entrega retornos negativos.