PEC paralela e promulgação da Previdência; ato político de Lula e outros destaques da semana

A semana começa repercutindo o primeiro grande ato político do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, após 580 dias preso. No evento, ele afirmou que o país está sob o comando de milicianos e associou a morte da vereadora Marielle Franco ao governo do presidente Jair Bolsonaro.

Amanhã (11), a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados pode votar a PEC 410/18, que deixa clara, no texto constitucional, a possibilidade da prisão após condenação em segunda instância, em uma semana mais curta para o Ibovespa em virtude do feriado da Proclamação da República na sexta-feira (15). Com o avanço da matéria entre os deputados, o Senado também se prepara para pauta-la.

Na terça-feira (12), acontece a promulgação da reforma da Previdência às 10h, segundo o presidente do Senado, Davi Alcolumbre. Além disso, no mesmo dia, o Plenário do Senado chama a votação dos quatro destaques da PEC Paralela, às 14h.

Entrando na última semana de balanços corporativos do 3º trimestre, o destaque fica para as seguintes empresas: Cemig (CMIG4), Copel (CPLE6), Cosan (CSAN3), Eletrobras (ELET6), Embraer (EMBR3), JBS (JBSS3), Sabesp (SBSP3), Marfrig (MRFG3) e Braskem (BRKM5).

Entre os indicadores, chamam a atenção a pesquisa mensal de serviços na terça-feira e do comércio na quarta. Posteriormente, na quinta-feira, sai o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) de setembro, considerado uma prévia mensal do PIB calculada pelo BC.

Mercado externo

Assim como na agenda local, o cenário externo reserva importantes eventos que devem ser monitorados pelos investidores. Após negar ter concordado em retirar tarifas impostas à China, o presidente Donald Trump acenou para a assinatura do acordo. “Supondo que nós o alcancemos [o acordo]…, poderia ser em Iowa, em um Estado agrícola ou algum lugar assim”, afirmou.

Entre os indicadores econômicos norte-americanos, destaque para os dados de inflação ao consumidor na próxima quarta-feira (13).

Posteriormente, o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, se pronuncia ao mercado, assim como no dia seguinte. São aguardados ainda os discursos de Eric Rosengren (Boston, na segunda-feira), Patrick Harker (Filadélfia, na terça-feira) e Neel Kashkari (Mineapólis, também na terça).

Saem também dados de vendas no varejo, na sexta-feira (15), bem como os dados de produção industrial. Na China, dados de produção industrial e varejo. No Reino Unido, Japão e zona do euro, saem os PIBs correspondentes.