Petróleo avança mais de 3% em expectativa ao controle do coronavírus

Os contratos futuros de petróleo encerraram em expressiva alta nesta quarta-feira (12), impulsionados pela redução do ritmo de propagação do coronavírus na China.

O petróleo vendido em Nova Iorque no West Texas Intermediate (WTI), com entrega para março, avançou 2,46%, no preço de US$51,17 o barril.

Já o petróleo Brent comercializado na ICE de Londres, para entrega em abril, subiu 3,29%, fechando na cotação de US$55,79 o barril.

Segundo informações da Comissão Nacional de Saúde da China, foram registrados 2.015 novos casos de infecção pelo vírus nas últimas 24 horas.

O dado representa uma redução na disseminação da doença, que pelo segundo dia consecutivo, está mostrando desaceleração.

Embora os especialistas admitam que o número de contaminados esteja subestimado pelo governo chinês, atualmente estão confirmadas com a doença aproximadamente 44.653 pessoas.

A percepção de que o coronavírus está sendo controlado pelas autoridades deu força para as cotações da commodity devolverem as perdas da semana.

Mais cedo, o governo americano divulgou as informações sobre os estoques de petróleo no país, anotando um aumento de 7,459 milhões de barris na semana passada.

O número mais que superou as previsões dos especialistas, que apostavam no aumento de apenas 2,9 milhões de barris no período.

Contudo, o otimismo gerado pela confiança na capacidade de Pequim em lidar com a epidemia, foi o suporte necessário para promover a correção nos preços da commodity energética.