Petróleo desaba 3% com preocupações sobre a demanda global

Os contratos futuros de petróleo encerraram em forte queda nesta quarta-feira (14), reagindo ao aumento das preocupações sobre a provável redução na demanda global.

A divulgação de indicadores macroeconômicos mais fracos na China e na Alemanha evidenciou um cenário de intensificação do ritmo de desaceleração da economia global.

O fato pressionou a queda das cotações, já que a redução das atividades produtivas dos países implica em menor demanda da commodity.

Outro ponto que acentuou os temores do mercado foi a inversão na curva de rentabilidade dos títulos públicos do Tesouro americano, com os yields de dois anos superando o retorno dos yields de dez anos, um fenômeno que normalmente antecede períodos de recessão.

Também no radar, os investidores ficaram atentos ao Departamento de Energia (DoE), que divulgou um aumento de 1,58 milhões de barris na semana passada, com os estoques do óleo bruto nos EUA somando 440,510 milhões de barris.

O dado contrariou as projeções dos analistas, que esperavam uma queda de 2,1 milhões de barris na semana encerrada dia 09 de agosto.

Como resultado, o petróleo WTI para entrega em setembro desabou 3,27%, sendo cotado a US$55,23 o barril e o petróleo Brent para outubro recuou 2,96%, sendo cotado a US$59,48 o barril.