Petróleo fecha em queda reagindo às preocupações com coronavírus

Os contratos futuros de petróleo encerraram em queda nesta quinta-feira (23), pressionados pelo receio quanto aos impactos da disseminação do coronavírus na China.

O petróleo vendido em Nova Iorque no West Texas Intermediate (WTI), com entrega para fevereiro, recuou 2,02%, no preço de US$55,59 o barril.

Já o petróleo Brent comercializado na ICE de Londres, para entrega em março, registrou queda de 1,85%, fechando na cotação de US$62,04 o barril.

Os investidores ficaram preocupados com a demanda da commodity no gigante asiático, tendo em vista a proliferação do coronavírus e as medidas adotadas para a contenção da doença.

O governo chinês decidiu isolar a cidade de Wuhan, foco inicial do vírus, suspendendo os serviços de transporte de todas as modalidades.

Além disso, as viagens aéreas no feriado do Ano Novo Lunar chinês serão drasticamente reduzidas devido ao risco de contágio, o que também deverá impactar na demanda por óleo bruto.

Os contratos chegaram a devolver parte das perdas após a divulgação dos dados sobre os estoques da commodity nos Estados Unidos.

Segundo o Energy Information Administration, a oferta de petróleo caiu em 400 mil barris na semana passada, porém, as quantidades de gasolina subiram 1,7 milhão de barris.

Mas a pressão pelos temores quanto a um possível cenário de excesso de oferta prevaleceu sobre as cotações, levando ambas as referências a estenderem as perdas da véspera.