Petróleo oscila mas fecha em alta com controvérsias EUA-China no radar

Os contratos futuros de petróleo encerraram em alta nesta sexta-feira (08), depois de oscilar em queda a maior parte do pregão, em atenção às notícias da guerra comercial.

O petróleo vendido no West Texas Intermediate (WTI) de referência americana, para entrega em dezembro subiu 0,16%, sendo negociado a US$57,24 o barril.

Já o petróleo Brent para janeiro, comercializado na ICE de Londres, de referência global, aumentou 0,35%, fechando na cotação de US$62,51 o barril.

Apesar das turbulências no mercado internacional, na comparação semanal, o WTI subiu 1,85% e o Brent avançou 1,33%.

A commodity iniciou o dia em baixa, reagindo às declarações conflitantes sobre o acordo comercial, proferidas por autoridades dos Estados Unidos e da China.

O movimento de queda se acentuou após o presidente Donald Trump afirmar que não havia concordado com a remoção das tarifas aplicadas aos produtos chineses.

Porém, durante a tarde, as cotações zeraram as perdas após o relatório da Baker Hughes informar que os poços e plataformas de petróleo em atividade nos EUA recuaram em sete unidades, na semana passada.

Segundo os operadores do mercado, não houve um motivo predominante para a mudança de sinal vista no dólar, contudo, o otimismo pela continuidade dos cortes na produção da Opep auxiliou na manutenção das perspectivas, nesta sessão.