Bolsonaro quer ter acesso à dados de desmatamento antes da divulgação

Em meio a diversas críticas ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o presidente Jair Bolsonaro afirmou ontem que quer ter acesso aos dados sobre desmatamento antes que eles sejam divulgados, para ‘’não ser pego de calças curtas’’.

A afirmação, no entanto, foi bastante falha a exprime a falta de informação do presidente, pois os dados já são divulgados pelo órgão de monitoramento em tempo real para o governo, além de ficarem disponíveis na internet.

O Inpe é um órgão ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e responsável por monitorar o desmatamento na Amazônia e mensurar a taxa oficial de perda anual da floresta.

Após várias reportagens baseadas em dados do Inpe que apontavam para uma alta de 88% no desmate em junho, ante o mês anterior, Jair Bolsonaro disse à imprensa estrangeira na sexta que os dados são ‘’mentirosos’’, e que o presidente do órgão, Ricardo Galvão, está “a serviço de alguma ONG”.

Em resposta, Galvão disse ao jornal O Estado de S. Paulo que considera a atitude do presidente “pusilânime e covarde”. Para ele, Bolsonaro fez comentários “sem nenhum embasamento” e “ataques inaceitáveis”.

Na visão do presidente, é necessário que os dados devem passar primeiro pelo ministro da Ciência, Marcos Pontes. “Não pode ir na ponta da linha alguém simplesmente divulgar esses dados. Porque pode haver um equívoco. E nesse caso, como divulgou, há enorme estrago para o Brasil. A questão ambiental, o mundo todo leva em conta”,

O Estado apurou ainda que o ministério da Ciência estuda demitir Galvão por justa causa, caso seja comprovado que ele agiu com o propósito de prejudicar a imagem do Brasil.