Bolsonaro reitera urgência da reforma previdenciária

Um dia após admitir a possibilidade de fatiar a Reforma da Previdência, o presidente eleito Jair Bolsonaro tentou amenizar a eventual demora para votar e aprovar a medida. Afirmou que irá votar a Reforma da Previdência o mais rápido possível e dentro dos primeiros seis meses de mandato. Inclusive, admitiu que se a reforma “der errado, não só eu vou afundar”, denotando a importância do projeto para tornar saudável a situação fiscal do país. Questionado também se a prioridade recai sobre a reforma ou as privatizações, o novo presidente disse que “a ordem dos fatores não altera o produto”.

E Eu Com Isso?

A possibilidade de fatiar a aprovação da reforma repercutiu negativamente para especialistas, uma vez que o projeto fica mais vulnerável ao fracasso e tende a demorar mais. Por outro lado, os mais otimistas acreditam que essa possa ser uma boa estratégia para alcançar o objetivo da reforma ideal. De qualquer maneira, Bolsonaro vem dando extrema prioridade para o tema e para a articulação no Congresso. O presidente, assim que o recesso parlamentar terminar, promoverá o tema para discussão como foco inicial na idade mínima.