Cortes na educação: falta de alinhamento no governo gera “disse me disse”

Uma reunião entre deputados e o presidente Jair Bolsonaro, na tarde de ontem, gerou incertezas quanto aos cortes na educação.

Segundo o ‘Estado’, líderes do PSL, Delegado Waldir (GO), do Novo, Marcel Van Hattem (RS), do Podemos, José Nelto (GO), e do Cidadania, Daniel Coelho (PE) afirmaram que o governo iria rever o bloqueio de recursos no orçamento da Educação.

“O presidente falou que não haverá contingenciamento na pasta da Educação”, disse Diego Garcia (Pode-PR), que participou da reunião.

De acordo com líderes de quatro legendas, Bolsonaro teria contatado o ministro da Educação, Abraham Weintraub, para encerrar os cortes.

Posteriormente, a Casa Civil desmentiu em nota a suposta ordem de recuo.

“Não procede a informação de que haverá cancelamento do contingenciamento no MEC. O governo está controlando as contas públicas de maneira responsável”.

Foto divulgação: Exame

Leia mais:

Bolsas da Ásia encerram pregão em alta mesmo após dados chineses modestos

Saiba quais são os principais compromissos econômicos globais para esta quarta-feira

Brasil pesa economia latino-americana, diz o Indicador Ifo/FGV de Clima Econômico (ICE)

Governo prepara novo programa habitacional e pode usar mais recursos do FGTS no MCMV

Líderes recusam encontro com Bolsonaro e governo sofre nova derrota na Câmara

Sem reforma administrativa, governo pode recriar até 10 ministérios

Resultados corporativos: lucro de Copel e Equatorial Energia crescem 43% e 157%, respectivamente

Resultados corporativos: Helbor e Gafisa reduzem prejuízo em 42,1% e 13%, respectivamente

Resultados corporativos: prejuízo da Renova Energia sobe e lucro da Guararapes recua