Eduardo Bolsonaro já tem votos para virar embaixador nos EUA, segundo instinto do próprio

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) disse estar “confiante” de que seria aprovado pelo Senado para ser o novo embaixador do Brasil nos EUA, caso a sabatina fosse hoje.

“Acredito que hoje, se fosse votado, acredito que sim, acredito que conseguiria”, disse o filho do presidente Jair Bolsonaro.

Eduardo falou ontem ao site Congresso em Foco. A publicação ainda destacou estar esperançoso, mesmo diante de uma votação secreta.

Quando questionado da demora no envio oficial de sua indicação, o deputado disse estar estudando para “tirar nota 10″.

Ele também tem aproveitado os encontros com os senadores para divulgar suas ideias.

Ao GLOBO, ele disse que querer antecipar a data da indicação porque qualquer mudança poderia ser interpretada como um “recuo”.

Como seu principal triunfo, Eduardo cita sua boa relação com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e investidores norte-americanos.

“Minha figura traz peso maior de confiança e de responsabilidade para este novo Brasil que a gente quer desenhar lá fora”, disse.

Para avançar, Eduardo precisa receber o apoio de ao menos 41 dos 81 senadores na votação do plenário do Senado.

De acordo com jornal o GLOBO, Bolsonaro sugeriu que a indicação pode acontecer após a viagem para a Organização das Nações Unidas (ONU), dia 24 de setembro, em Nova York.

Eduardo Bolsonaro afirmou que pretende acompanhar o pai a Nova York.

Durante a terça-feira (10), o deputado também saiu em defesa de seu irmão, Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), no Plenário da Câmara.

O vereador foi criticado ao dizer que “por vias democráticas” o Brasil não conseguiria a transformação almejada na velocidade desejada.

“O que o Carlos Bolsonaro falou não tem nada demais […] As coisas numa democracia demoram, porque exigem debate. Ele falou só isso”, completou.