Em programa de desinvestimento, BNDES venderá R$ 38,8 bi em ações em 2020

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) definiu um cronograma de ações vinculado ao seu programa de desinvestimento.

Segundo apurou o Valor Econômico, o plano engloba as próximas quatro ofertas de ações que serão disponibilizadas no próximo ano: a segunda tranche de ações da JBS (R$ 8 bilhões), assim como uma participação relevante em Petrobras (R$ 18 bilhões); ambas devem ocorrer no 1S20, com distribuição pública pelo processo mais rápido de aprovação previsto pela CVM.

No caso da petrolífera, a posição total da BNDESPar na estatal chega a, em média, R$ 52 bilhões.

A operação possibilita liquidar parte das ações das duas classes (ON e PN), mas também ADRs.

Em contrapartida, seguindo o cronograma, o banco encerra o ano sem ações da JBS na carteira.

Ademais, a venda das ações da Copel (R$ 4 bilhões) e as da Tupy (R$ 800 milhões) também fazem parte do programa de desinvestimentos BNDES; no primeiro caso, as vendas também estão previstas para o primeiro semestre do próximo ano, em uma oferta restrita, deixando apenas as ações da fundição Tupy (em uma oferta restrita) para o segundo semestre do ano.

Na estimativa do Valor que, considera os valores atuais, representam vendas de R$ 30,8 bilhões.

Assim também, a primeira tranche de oferta de JBS, inicialmente prevista para dezembro, pode ser postergada para janeiro.

Se confirmado, o montante de ações a serem vendidas por sua subsidiária BNDESPar em 2020 deve contabilizar R$ 38,8 bilhões.

Hoje, o BNDES procura reduzir sua carteira de investimentos e participações, chegando o mais perto de zero em três anos.