Gastos crescentes com inativos e pensionistas pressionam contas dos Estados

Segundo um levantamento divulgado pelo jornal Valor Econômico nesta segunda feira (9), os governos estaduais têm sido pressionados pelo aumento dos gastos com inativos (aposentados) e pensionistas.

O Valor teve acesso a dados dos relatórios fiscais que apontam que nos 26 Estados e no Distrito Federal a despesa bruta liquidada com a folha do Executivo cresceu 4,86% nos 12 meses encerrados em abril, enquanto as despesas com inativos e pensionistas cresceu 8,22% no mesmo período.

Em 16 dos 27 Estados, o crescimento das despesas com aposentados e pensionistas é maior que do que a alta dos gastos com servidores ativos. Esta situação agrava ainda mais o déficit previdenciário das unidades federativas que, segundo o Tesouro, no final de 2018 já somava R$ 101,3 bilhões.

Analistas apontam que a reforma da Previdência é de suma importância para as contas públicas, uma vez que os aumento de despesas previdenciárias nas prefeituras também é grande.

José Roberto Afonso, do Instituto Brasiliense de Direito Público disse ao Valor que está tem sido a realidade dos últimos anos. “Essa situação está agora pressionada pela corrida de servidores para se aposentar antes da entrada em vigor da reforma’’, afirmou.