Líderes recusam encontro com Bolsonaro e governo sofre nova derrota na Câmara

A semana começou em débito para o governo Bolsonaro, que viu a oposição e o Centrão articular contra sua equipe.

Não apenas a análise de medidas provisórias foi travada, mas também aprovaram a convocação do ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Sendo assim, o ministro deverá comparecer ao plenário da Casa ainda nesta quarta-feira (15) para justificar o corte na pasta.

A votação que contou com uma articulação de última hora aprovada por 307 votos favoráveis e 82 contrários.

Mais cedo, no mesmo dia, líderes do DEM e do PP recusaram um convite para reunir-se com o presidente Bolsonaro.

De acordo com Arthur Lira (AL), o encontro poderia fazê-los acreditar que a MP da reforma administrativa seria discutida.

“Não tem mal-estar. Sempre é um prazer e uma honra encontrar com o presidente”, disse.

Leia mais:

Bolsas da Ásia encerram pregão em alta mesmo após dados chineses modestos

Saiba quais são os principais compromissos econômicos globais para esta quarta-feira

Brasil pesa economia latino-americana, diz o Indicador Ifo/FGV de Clima Econômico (ICE)

Governo prepara novo programa habitacional e pode usar mais recursos do FGTS no MCMV

Cortes na educação: falta de alinhamento no governo gera “disse me disse”

Sem reforma administrativa, governo pode recriar até 10 ministérios

Resultados corporativos: lucro de Copel e Equatorial Energia crescem 43% e 157%, respectivamente

Resultados corporativos: Helbor e Gafisa reduzem prejuízo em 42,1% e 13%, respectivamente

Resultados corporativos: prejuízo da Renova Energia sobe e lucro da Guararapes recua