Ministro da Saúde de Bolsonaro sinaliza grandes mudanças na área

O pecuarista Henrique Prata, cotado para liderar o Ministério da Saúde, diz que aceita o cargo para trabalhar na gestão de Jair Bolsonaro e que tem sido “preparado por Deus” para transformar a história da saúde pública do Brasil. Segundo ele, sua atuação no mistério visará acabar com a corrupção, trazendo profundas transformações à Pasta. “Não vai sobrar pedra sobre pedra” – assevera o pecuarista.

Presidente do Hospital de Amor (antigo Hospital do Câncer de Barretos), que é referência mundial em pesquisa e tratamento do câncer, Prata diz que sua vontade de trabalhar com Bolsonaro surgiu após o candidato declarar que formaria uma equipe de governo só de técnicos para as áreas estratégicas, principalmente na área da Saúde. “Se fizer conchavo político, nada muda” – reitera o pecuarista, argumentando que a maioria dos governos aplica diretrizes políticas e não assistencialistas na área da saúde, e por isso, a situação está crítica.

Prata salienta que em sua experiência de 30 anos no comando do hospital do câncer, presenciou diversas situações de desonestidade e falta de gestão. Sobretudo na área de pesquisas de alta complexidade, onde ocorre o maior número de desvios, o pecuarista afirma que conseguiu reduzir cerca de 30% nas mortes em UTI apenas “sendo honesto”.

Dono de uma grande fortuna, Prata, que atualmente passa por um processo de sucessão de bens, comentou que transformar o seu patrimônio em um “holding familiar”, colocando seus três filhos como sócios, tem como finalidade preservar tudo o que conquistou trabalhando desde os 11 anos. Ele afirma que antes de entrar para a vida pública, está organizando toda a sua vida particular, que deverá se resolver até no máximo em novembro.

Em sua trajetória, o pecuarista revela que teve contato com diferentes autoridades políticas, mas que não segue nenhuma ideologia partidária e garante que está sendo guiado por Deus para mudar a situação da saúde pública no país. “O único livro que leio todos os dias é a Bíblia” – ressaltou em entrevista ao Valor.

Leia também:

Bolsonaro já tem nove nomes para ministérios

Estatais em foco: investidores penalizam ações na Bolsa

Fala de Bolsonaro repercute negativamente: Ibovespa cai, dólar sobe e estatais ruem