Relator da reforma acredita que sistema de capitalização deve contar com contribuição patronal

O relator da reforma da Previdência, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), disse que para ele um sistema de capitalização sem contribuição das empresas é insustentável.

O projeto de capitalização enviado ao Congresso pelo governo Jair Bolsonaro não exige contribuição dos empregadores, o trabalhador age de forma individual e arca com esta contribuição. A ideia do governo com isso é reduzir os encargos que as empresas pagam atualmente.

“Se 90% [da receita para a Previdência] é patronal e o sistema ainda é deficitário, a contribuição patronal tem uma importância enorme”, disse Moreira ao jornal Valor Econômico. ‘’Isso pode ser resolvido se você colocar na lei que o sistema de capitalização possa ter a contribuição patronal paritária ao sistema de repartição, no mínimo’’, completou o relator.

E-book: Guia completo e definitivo da Previdência Privada

Segundo ele, em seu relatório, que prometeu concluir este mês, deve ser autorizada a capitalização, mas que esse é um tema a ser tratado através de uma lei complementar.

Ao Valor, ele prometeu ainda criar travas contra a desoneração da Previdência. “Fazer desoneração com o dinheiro da Previdência é tirar dinheiro do velhinho, do idoso. Deveria ser proibido daqui para frente desonerar com dinheiro da Previdência”.