Descubra agora como limpar nome sujo em 7 passos

Imprevistos financeiros costumam acontecer com qualquer um. Eles podem comprometer as finanças, fazer com que as dívidas saiam do controle e gerar o tão temido endividamento e inclusão do CPF na lista de inadimplentes. Limpar nome sujo, no entanto, é uma tarefa possível, que pode ser realizada com disciplina, comprometimento e organização financeira.

Para ajudar a entender melhor a questão, neste artigo, vamos falar sobre o tema e dar 7 boas dicas que vão ajudar o consumidor a reorganizar as contas e voltar a funcionar no azul.

Deixar o nome limpo é muito importante para a vida financeira, pois garante melhores condições no comércio e evitam-se problemas com as dívidas. Continue a leitura e acompanhe.

1. Faça o levantamento de todas as suas dívidas

O primeiro passo é fazer o levantamento de todas as dívidas que estão em aberto, bem como registrar desde quando ocorre o atraso, além de pontuar os juros cobrados de acordo com cada contrato. Desse modo, será mais fácil organizar as finanças e definir as prioridades de pagamento.

Pode ser adotada uma planilha com todas as contas que precisam ser pagas. Nela, constarão os prazos de pagamento e as empresas ou pessoas com quem é preciso entrar em contato. Quanto mais organizadas estiverem as informações, maior será o poder de negociação do consumidor junto ao credor.

O ideal é se livrar, primeiro, das dívidas que tenham taxas de juros mais altas ou que estejam em aberto há mais tempo. Dessa forma, as cobranças que fazem o valor crescer significativamente em um período curto de tempo serão interrompidas, facilitando, assim, o reequilíbrio das finanças.

2. Procure as empresas para negociar

Uma vez que já se saiba tudo o que é devido, chega o momento de procurar os credores e renegociar o pagamento do que estiver em aberto. Cada empresa vai oferecer uma proposta, e é importante que o consumidor veja se esse novo acordo se ajusta à sua realidade financeira.

É fundamental que as parcelas firmadas sejam compatíveis com os rendimentos mensais. Caso contrário, corre-se o risco de não cumprir novamente o que foi acordado, gerando quebra de contrato e uma dívida potencialmente maior do que a original.

3. Cumpra rigorosamente com o novo contrato firmado

Uma vez estabelecido o acordo, é fundamental cumprir rigorosamente as novas especificações determinadas. Após o período máximo de 5 dias da nova negociação, as empresas credoras já devem providenciar a retirada do nome do cliente da lista de pagadores inadimplentes.

Isso significa que seu nome deixará de estar sujo. Porém, se ocorrer uma nova quebra de acordo, é possível que essa situação volte a ocorrer. O ideal é o consumidor consultar a situação de seu CPF em um site confiável e especializado nesse tipo de serviço, usando essas informações sempre a seu favor.

Com valores acessíveis, é possível obter dados importantes, como sua pontuação Score, consultas de cheques e situação do CPF na Receita Federal, entre outros.

4. Procure quitar o total da dívida sempre que possível

Em muitas situações, os juros incidentes sobre a dívida são reduzidos de maneira significativa em uma nova negociação, o que pode facilitar o pagamento do valor total. Essa, inclusive, é uma recomendação que deve ser analisada com atenção e o devido compromisso.

Caso as dívidas estejam muito atrasadas e o valor não seja passível de quitação à vista, claro que negociar um refinanciamento também é muito válido. Porém, se o consumidor conseguir juntar o dinheiro e já eliminar por completo a pendência, os ganhos serão maiores ainda.

O recomendável é, de acordo com a análise das dívidas, fazer um planejamento financeiro capaz de identificar pontos a serem revistos, a fim de eliminar gastos desnecessários e manter somente o que for essencial.

A economia gerada, por sua vez, pode ser aplicada no pagamento das dívidas atrasadas até que a situação esteja controlada e o consumidor consiga, enfim, voltar a ter uma boa reputação no mercado de consumo.

5. Estude trocar várias dívidas por uma única

Várias dívidas crescendo de forma descontrolada é uma situação que deve ser evitada ao máximo. Contudo, quando a situação já ocorreu, é preciso enfrentá-la com sabedoria e estratégia.

Nesse caso, pode ser analisada a possibilidade de substituir várias contas em aberto por somente uma, que pode ser proveniente de um empréstimo, por exemplo.

Por mais receio que as pessoas possam ter em relação ao empréstimo, em alguns casos, ele pode ser usado como um remédio emergencial para controlar a situação temporariamente.

É importante ressaltar, no entanto, a necessidade de se fazer uma pesquisa aprofundada no mercado e escolher uma opção que atenda suas necessidades e esteja dentro da sua capacidade de pagamento. Caso contrário, em vez de resolver o problema do endividamento, pode-se gerar um novo.

6. Evite pagar o mínimo do cartão

Pagar o mínimo do cartão é um recurso que só deve ser usado em último caso, uma vez que, quando se opta por essa alternativa, a dívida é automaticamente rolada para o próximo mês, com os devidos juros previstos no contrato.

Atualmente, os bancos são obrigados a enviar uma opção de parcelamento já no mês seguinte a essa prática. Mas, ainda assim, o correto é que o cartão seja usado com consciência.

Lembre-se sempre de que o limite disponível no cartão corresponde a uma linha de crédito e não a um aumento de salário, ou seja, você terá que pagar a fatura quando ela chegar e, caso não a pague integralmente, precisará arcar com altas taxas de juros.

7. Tenha controle de seus gastos mensais

De nada adianta fazer um esforço extra para organizar as finanças e limpar o nome sujo se não ocorrer uma mudança nos hábitos de consumo. Sendo assim, por mais difícil que seja, é preciso manter o controle sobre os gastos e gastar somente o que for possível de se pagar no mês.

A dica, nesse caso, é adotar limites realistas de gastos e seguir à risca as metas estabelecidas. Com organização e disciplina, é possível atingir esse objetivo.

Agora que você já sabe a importância de manter o uma boa credibilidade no mercado, pode se organizar e obter as vantagens que um comportamento de consumo consciente pode proporcionar.

Nesse sentido, limpar nome sujo é sempre necessário para que as condições de crédito oferecidas sejam a melhores possíveis de acordo com o perfil do consumidor.

Você tem outras sugestões para manter as contas em dia? Conte para a gente nos comentários!

Que tal receber o seu dossiê financeiro?

Com o seu CPF, consulte agora e sem burocracia sua reputação financeira.

Tenha acesso a todas as informações em único lugar! Com o Data Engine, nós acessamos várias fontes diferentes para você e não apenas SPC/Serasa. Consulte agora!

Leave a Reply

Your email address will not be published.