Pagamento atrasado: 9 dicas para evitar o atraso das contas

A crise econômica prolongada e a ausência de uma cultura de poupança contribuíram para que 62 milhões de brasileiros tivessem seus CPFs inscritos nos serviços de proteção ao crédito. O número significa que todo esse contingente tem dívidas em atraso.

Para evitar que você passe por problemas relacionados a pagamento atrasado, a chave é manter um bom controle financeiro. A boa notícia é que nós podemos ajudá-lo nisso.

Interessou-se pelo assunto e quer saber mais? Continue a leitura e confira as 9 dicas que preparamos para evitar pagamentos em atraso!

1. Crie o hábito de cuidar das finanças

Pense nas ações que mantêm a saúde ou o bom funcionamento de qualquer aspecto da sua vida. Você toma banho todos os dias, escova os dentes, leva seu carro para manutenções periódicas, vai ao médico regularmente. Tudo isso requer atenção e cuidado, certo?

Com a vida financeira, não poderia ser diferente. É preciso saber quanto se ganha, quais são os gastos previstos e quando as contas devem ser pagas. Deixar as coisas correrem com a rédea frouxa é um caminho para o descontrole, portanto crie o hábito de acompanhar suas finanças rotineiramente.

2. Separe as contas por prioridade

Ninguém quer ter um pagamento atrasado, mas devemos admitir que algumas contas são prioritárias em relação a outras. Se você deixar de pagar a luz ou a água, corre o risco de ter os serviços interrompidos e outras complicações, não é mesmo?

Além disso, é preciso colocar como prioridade o pagamento do aluguel, o financiamento do imóvel ou do carro, o condomínio e a mensalidade escolar. Atrasos nessas contas podem fazer com que você seja despejado, perca a casa ou tenha que tirar seu filho do colégio.

3. Organize as contas por data de vencimento

Se você souber quando tem que pagar determinada despesa, fica muito mais fácil fazer o controle, não é? Separe os pagamentos por ordem de vencimento, de forma a ter o valor disponível na data devida.

Cada pessoa tem um sistema de controle que funciona melhor para o seu caso, mas uma dica é disponibilizar em conta corrente um valor semanal suficiente para pagar as contas daquele período, além do necessário para o dia a dia. Assim, você corre menos riscos de chegar ao fim do mês sem os recursos necessários para honrar seus compromissos.

4. Gaste menos do que ganha

Essa dica parece óbvia, mas (acredite) não é. Muita gente não sabe exatamente quanto gasta e extrapola o orçamento mês após mês, o que gera uma bola de neve de dívidas.

As despesas devem ser menores do que os rendimentos, com uma folga nessa conta, porque sempre existem gastos que não foram previstos. Você pode, por exemplo, ter que comprar um remédio mais caro ou pagar um passeio da escola do seu filho, entre inúmeras outras possibilidades.

5. Mantenha uma reserva de emergência

Manter uma reserva de emergência é uma das melhores formas de garantir noites tranquilas de sono. Se você tiver um valor aplicado, está seguro de que, se precisar, pode contar com ele. Portanto, não será pego desprevenido no caso de ficar inesperadamente sem renda, ter um problema de saúde ou precisar socorrer um parente.

O recomendado é que essa reserva de emergência seja de três a seis salários ou rendas mensais. Logo, se você ganha R$ 10 mil por mês, deve ter entre R$ 30 e R$ 60 mil reservados para imprevistos.

Esse valor deve ser aplicado em investimentos de baixo risco e alta liquidez, justamente para que você não tenha nenhuma surpresa quanto aos rendimentos. Desse modo, o dinheiro cairá na sua conta imediatamente quando precisar sacá-lo.

Se você ainda não conseguiu economizar essa quantia, não precisa se desesperar. Trace um plano e comece a poupar um pouco a cada mês para formar sua reserva de emergência.

6. Controle o cartão de crédito

O cartão de crédito, quando bem utilizado, é uma ferramenta muito útil. Ele permite inclusive organizar melhor as contas, concentrando boa parte dos gastos em uma única data. Assim, é possível acompanhar quanto se está gastando dia a dia.

Por outro lado, esse recurso também pode ser perigoso. Quem não mantém um bom controle corre o risco de gastar mais do que pode, não conseguir pagar a fatura inteira, ter que parcelar o restante ou, então, entrar no rotativo e ver a dívida crescer cada vez mais.

Assim, use seu cartão com parcimônia e acompanhe a evolução da fatura no decorrer do mês. Estabeleça um valor máximo para gastar e tome muito cuidado com as compras por impulso. Se você tem dificuldades para manter esse controle, uma ideia é deixá-lo guardado em casa, evitando as tentações do consumo.

7. Cadastre as contas em débito automático

Para evitar pagamentos atrasados, uma opção é cadastrar as contas prioritárias no débito automático. Depois, você só precisa se preocupar em manter na conta corrente o valor necessário para honrar seus compromissos, sem ter que se lembrar de acessar o banco várias vezes ao mês para pagar cada uma das despesas.

A chance de ter uma surpresa desagradável é muito menor assim, não acha? Além disso, há um ganho de tempo para outras atividades mais importantes (ou interessantes).

8. Antecipe parcelamentos

Se sobrou um dinheiro no fim do mês e você tem compras parceladas ou financiamentos, considere antecipar os pagamentos. Assim, o valor da prestação fica menor, uma vez que os juros daquele período são descontados. Você também ganha uma folga para os meses seguintes, reduzindo seu nível de endividamento.

9. Use aplicativos de controle financeiro

Foi-se o tempo em que tínhamos que fazer o controle do orçamento doméstico no caderninho ou em uma planilha. Atualmente, existem diversos aplicativos gratuitos que ajudam a monitorar seus gastos e permitem uma melhor visualização de como estão distribuídos.

Dessa forma, é possível fazer um bom planejamento e evitar o pagamento atrasado. Entre as melhores opções de apps do mercado, podemos citar:

Vale pesquisar um pouco, conhecer as funcionalidades de cada um e escolher o que melhor atende às suas necessidades.

Seguindo nossas dicas, você vai conseguir evitar o temido pagamento atrasado, economizando um dinheiro que seria pago em juros ou multas e mantendo o nome limpo. Sua saúde financeira agradece!

Que tal receber o seu dossiê financeiro?

Com o seu CPF, consulte agora e sem burocracia sua reputação financeira.

Tenha acesso a todas as informações em único lugar! Com o Data Engine, nós acessamos várias fontes diferentes para você e não apenas SPC/Serasa. Consulte agora!

Você tem outras sugestões para manter as contas em dia? Conte para a gente nos comentários!