Fique por dentro das vantagens e desvantagens das Blue Chips

O mercado de ações tem um vocabulário bem próprio. Blue chips é um dos termos peculiares dessa área, mas você já deve ter ouvido falar dele. A nomenclatura deriva do pôquer, jogo no qual as fichas azuis (blue chips) são as mais valiosas.

Por extensão, no mercado acionário, a expressão é usada para designar grandes corporações, bem estabelecidas, com histórico sólido de resultados e de governança. Mas será que é vantajoso investir nelas?

Neste artigo, explicaremos melhor o que define uma empresa como blue chip e analisaremos as vantagens e desvantagens de comprar ações dessas companhias. Vamos acompanhar?

O que são blue chips?

Como mencionamos acima, as blue chips são as ações das empresas de maior porte, que já têm um longo histórico de negociação e estão consolidadas no mercado. Não existe uma lista oficial de blue chips, mas elas têm algumas características em comum:

  • são empresas de grande porte e estão entre as maiores do seu setor;
  • têm histórico no mercado e, por isso, o comportamento de suas ações costuma ter maior grau de previsibilidade;
  • contam com boa governança corporativa;
  • são empresas consolidadas e maduras e, por isso, são grandes geradoras de receita;
  • costumam ser boas pagadoras de dividendos, distribuindo aos acionistas mais do que o mínimo exigido (25% do lucro líquido);
  • suas ações estão entre as mais negociadas do mercado e representam os maiores volumes do pregão;
  • as ações têm alta liquidez;
  • têm peso alto nos principais índices da bolsa (Ibovespa, IBrX 50 e IBrX 100).

Quais são as principais blue chips do mercado brasileiro?

Dados os critérios acima, fica mais fácil identificar quais são as principais blue chips do mercado de ações brasileiro. Se olharmos para o Ibovespa, veremos que os 10 papéis que têm maior peso no índice são:

  • Itaú Unibanco;
  • Vale;
  • Bradesco;
  • Petrobras;
  • Ambev;
  • B3;
  • Banco do Brasil;
  • Itaúsa;
  • JBS;
  • Lojas Renner.

Assim, pode-se observar que estamos falando de empresas bastante conhecidas e que não há nenhuma estreante no mercado. Apenas a Petrobras representa 11,7% do Ibovespa, segundo informações publicadas no site da B3 e checadas em 09 de julho de 2019.

O Bradesco, segundo colocado, responde por 10,6%, seguido de perto pelo Itaú, com 10,2%. Completando o quadro das maiores, está a Vale, com peso de 9,3% no índice. Somando as quatro, elas representam quase 42% de todo o Ibovespa.

Os números mostram o quanto essas empresas são fortes e também o quanto o mercado acionário brasileiro é concentrado. Dessa forma, o que acontece com os papéis dessas companhias têm grande influência no mercado como um todo.

Quais as vantagens e desvantagens de investir em blue chips?

Como em tudo na vida — e no mercado de ações em especial —, comprar ações de blue chips tem pontos positivos e negativos. Vamos ver quais são eles.

Alta liquidez

Como as ações das blue chips são muito negociadas, você consegue vendê-las a hora que quiser, pelo preço de mercado, sem correr o risco de ficar preso no investimento ou de ter que se desfazer dele por um valor muito baixo para encontrar um comprador.

Estabilidade

Sabemos que não existem garantias no mercado de ações, mas os papéis das blue chips têm volatilidade menor do que os das empresas novas, que dependem de alto crescimento.

Essas ações costumam ter o beta mais próximo de 1. O beta é a relação entre a variação do ativo e do mercado como um todo. Um beta alto mostra que o ativo teve uma oscilação positiva grande em relação ao mercado, enquanto um beta baixo aponta para uma diferença expressiva, mas pelo lado negativo.

Nesse cenário, o beta mais próximo de 1 indica que a ação se moveu em linha com o mercado como um todo, o que mostra uma certa estabilidade. Além disso, vale lembrar que esses papéis têm um peso grande nos principais índices da bolsa, de forma que a própria trajetória deles ajuda a determinar a dos índices.

Distribuição de lucros

Como mencionamos, as blue chips são empresas já maduras. Isso quer dizer que elas não têm mais altas taxas de crescimento e, por isso, não precisam reinvestir todo o lucro para financiar sua expansão.

Por lei, toda empresa de capital aberto deve distribuir pelo menos 25% do seu lucro aos acionistas, mas as companhias já consolidadas costumam gerar muito caixa e, por isso, podem pagar bem mais do que o mínimo. Algumas distribuem, inclusive, mais de 100% dos lucros.

Dependência da economia

Aqui, encontramos a primeira desvantagem das blue chips. Como são empresas muito grandes, elas apresentam forte correlação com o ambiente econômico. Quando pensamos na Vale, por exemplo, seus resultados dependem muito das importações da China. Ou seja, quando a economia por lá desacelera, as vendas da empresa vão junto.

Em relação aos bancos, quando ocorre uma recessão, como a que vivemos no Brasil nos últimos anos, aumenta o desemprego, a renda das famílias cai e o faturamento das empresas encolhe. Tudo isso faz subir a inadimplência, tanto dos clientes pessoa física quanto daqueles que são pessoa jurídica.

Essa inadimplência afeta diretamente os resultados dos bancos, que não vão receber todos os pagamentos que esperavam.

Ambiente regulatório

Justamente por terem um peso tão grande na economia, o governo e os reguladores estão sempre de olho no que acontece com as grandes empresas, e não é raro que haja mudanças nas regras que regulam o setor a que pertencem.

Isso é algo relativamente comum com bancos, que fazem parte de um setor estratégico para a economia do país. O governo pode querer estimular a concorrência ou, por exemplo, adotar medidas que forcem uma queda nas taxas de juros cobradas dos clientes.

Outro exemplo é o setor de petróleo. Como vimos em 2018, o preço do combustível é algo sensível para a população e, por vezes, pode sofrer algum tipo de intervenção que impeça as empresas de praticarem o preço de mercado.

Agora você já entende melhor como as blue chips funcionam e as vantagens e desvantagens de investir nessas ações. Saiba que, se você tiver interesse em comprar ações de blue chips, é preciso primeiro abrir uma conta em uma corretora de valores. Depois, basta comprar os papéis do seu interesse por lá.

Fast Trade

Com o uso do Fast Trade, é possível montar estudos, analisar gráficos e aprofundar-se com eficiência no cotidiano da Bolsa de Valores e em suas modificações constantes – tendo assim diversos benefícios, como:

  • Simulador de Investimentos
  • Estudos Gráficos
  • Ferramentas de Análises
  • Feed de dados mais utilizado no Brasil
  • Acompanhamento em tempo real
  • Tape Reading
  • Cotações Internacionais (CFDs) e mais

Além disso, simule suas operações e teste suas estratégias todos os dias com R$100.000,00. Estamos habilitados em 13 corretoras no país, comece agora! Baixe gratuitamente!

Agora, aproveite para nos seguir nas redes sociais e ficar sempre por dentro das últimas novidades do mercado. Estamos no FacebookInstagram e YouTube!